quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Polícia Federal deflara Operação "GodFather" contra lavagem de dinheiro e crimes tributários. Valores envolvidos são superiores a R$ 150 milhões

Anthony Armstrong, o "Poderoso Chefão"


A Polícia Federal deflagrou, hoje, a Operação "Godfather", uma alusão ao personagem do livro "O Poderoso Chefão", de Mario Puzo. Não, não é o que vocês estão pensando. Não tem nada a ver com o caso daquele jatinho sem dono. Trata-se de uma operação visado a apuração de crimes de lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, crimes tributários e formação de quadrilha atribuídos ao inglês Anthony Armstrong e a pessoas a ele ligadas e à sua empresa  que atua do ramo imobiliário, em Fortaleza e Natal e que também patrocina times de futebol no Brasil, o Alegrim, de Natal e na Itália, o Monza.

Após receber informações do Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o COAF, sobre a existência de um esquema de lavagem de dinheiro que captava dinheiro de investidores no exterior para investimentos que nunca eram devolvidos, a Polícia Federal começou a investigar o esquema da quadrilha comandada pelo "Godfather", apelido dado pelos torcedores do Alegrim ao inglês Armstrong e que tinha sede em Natal.

Na Operação foram utilizados 50 policiais federais e 12 fiscais da Receita Federal, para cumprimento de nove mandados de busca. Estima-se que a quadrilha arrecadou, com o golpe, cerca de R$ 150 milhões.

*Com informações da assessoria de Imprensa do DPF, no RN

Doleiro jamais citou os nomes de Lula e Dilma, revela matéria publicada hoje no Valor Econômico



Por André Guilherme Vieira | De São Paulo
O advogado que representa Alberto Youssef, Antonio Figueiredo Basto, negou envolvimento na divulgação de informações que teriam sido prestadas pelo doleiro no âmbito da delação premiada, sobre o conhecimento de suposto esquema de corrupção na Petrobras pela presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) e pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Asseguro que eu e minha equipe não tivemos nenhuma participação nessa divulgação distorcida", afirmou ao Valor Pro. A informação de que Dilma e Lula sabiam da corrupção na Petrobras foi divulgada na sexta-feira passada pela revista "Veja".
No mesmo dia, o superintendente da Polícia Federal (PF) no Paraná, delegado Rosalvo Ferreira Franco, determinou abertura de inquérito para apurar "o acesso de terceiros" ao conteúdo do depoimento prestado por Youssef a delegados da PF e a procuradores da República.
"Acho mesmo que isso tem que ser investigado. Queremos uma apuração rigorosa", garante Basto, que já integrou o conselho da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). "Eu não tenho nenhuma relação com o PSDB. Me desliguei em 2002 do conselho da Sanepar [controlada pelo governo do Estado]. Não tenho vínculo partidário e nem pretendo ter. Nem com PSDB, nem com PT, nem com partido algum", afirma. O Paraná é governado por Beto Richa desde janeiro de 2011. Ele foi reconduzido ao cargo no primeiro turno da eleição deste ano.
A reportagem menciona que a declaração de Youssef teria ocorrido no dia 22 de outubro. "Nesse dia não houve depoimento no âmbito da delação. Isso é mentira. Desafio qualquer um a provar que houve oitiva da delação premiada na quarta-feira", afirma, irritado, Basto. O advogado diz ser falsa a informação de que o depoimento teria ocorrido na quarta-feira para que fosse feito um "aditamento" ou retificação sobre o que o doleiro afirmara no dia anterior: "Não houve retificação alguma. Ou a fonte da matéria mentiu ou isso é má-fé mesmo", acusa o defensor de Youssef.
Iniciadas no final de setembro, as declarações de Youssef que compõem seu termo de delação premiada são acompanhadas pelo advogado Tracy Joseph Reinaldet dos Santos, que atua conjuntamente com Basto.
O Valor PRO apurou que o alvo principal da operação Lava-Jato disse em conversas informais com advogados e investigadores, que pessoalmente considerava "muito difícil" que o presidente da República não tivesse conhecimento de um esquema que desviaria bilhões de reais da Petrobras para abastecer caixa dois de partidos e favorecer empreiteiras.
"Todo mundo lá em cima sabia", teria dito o doleiro, sem, no entanto, citar nomes ou apresentar provas.
O esquema de corrupção na diretoria de Abastecimento da Petrobras teria começado em 2005, segundo a investigação e o interrogatório à Justiça Federal do ex-diretor de Abastecimento da petrolífera, Paulo Roberto Costa. Era o segundo ano do primeiro mandato do então presidente Lula. Dilma foi nomeada ministra de Minas e Energia em 2003.
Segundo a versão de Costa à Justiça, Lula teria cedido à pressão partidária para nomeá-lo diretor da Petrobras, sob risco de ter a governabilidade ameaçada pelo trancamento da pauta do Congresso. "Mesmo que essa declaração do Paulo Roberto [Costa] seja fato e que a comprovemos nos autos, qual é o crime que existe nisso?", questiona um dos investigadores da Lava-Jato. "Uma coisa é a atividade política. Outra é eventual crime dela decorrente. Toda a delação de Costa e outras que venham a ocorrer serão submetidas ao crivo do inquérito policial e da devida investigação", esclarece.
A PF também instaurou inquérito para apurar supostos vazamentos da delação premiada de Costa.
Investigações sobre vazamentos podem resultar em processo penal. No dia 21 deste mês, o deputado federal Protógenes Queiroz (PC do B-SP) foi condenado pela 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) por violação de sigilo funcional qualificada. Queiroz, que é delegado da PF, foi responsabilizado por "vazar" informações da operação Satiagraha, deflagrada em São Paulo em 2008.

Leia mais em:
http://www.valor.com.br/politica/3756840/advogado-de-youssef-nega-participacao-em-divulgacao-distorcida#ixzz3HdwejLW1

Uma pequena reflexões sobre corrupção e impunidade



É preciso ter coragem pra exigir mudanças nas estruturas do poder. De que adianta uma Polícia Federal independente e bem equipada se o Ministério Público tiver um engavetador no comando, que engaveta todas as denúncias contra os poderosos e contra seus assessores e aliados? De que adianta ter um Ministério Público com poderes de investigação se esse poder for utilizado para perseguir quem denuncia os malfeitos dos aliados políticos do Chefe do Ministério Público e os malfeitos dos membros do próprio Ministério Público, em flagrante abuso da titularidade da Ação Penal Pública? Como qualquer instituição, o Ministério Público é um retrato da sociedade, portanto, tem, em seus seio, maus e bons elementos. Entretanto, um dos papeis fundamentais do Ministério Público é proteger a sociedade contra a ação desses maus elementos. Por que então, quando flagrada a ação de maus elementos dentro da instituição, esses são blindados? Qual a moral que passa a ter, perante a sociedade, uma instituição que acoberta os malfeitos de seus membros, enquanto vomita moralidade para o resto da sociedade? Todas essas questões têm que ser amplamente debatidas por nós, pois muito se fala em corrupção e impunidade, mas não se busca qual a verdadeira fonte de ambas.

DIGAMOS NÃO AO GRUPO DE FENELON NAS ELEIÇÕES DO MPPE

As ex-secretárias de Assuntos Jurídicos, Virgínia Pimentel (D), e de Controle e Desenvolvimento Urbano e Obras, Maria José de Biase (E), fizeram uma visita de cortesia ao procurador-geral de Justiça do MPPE, Aguinaldo Fenelon. Foto: Antônio Tenório - See more at: http://www2.recife.pe.gov.br/secretarias-da-pcr-discutem-polo-juridico-com-procurador-do-ministerio-publico/#sthash.uaaBhejl.dpuf

Amig@s, daqui a dois meses acabará o mandato do Procurador Geral do Ministério Público de Pernambuco, Aguinaldo Fenelon. Nós, da sociedade civil organizada, não podemos assistir passivamente ao processo de escolha do seu sucessor, que após indicação de lista tríplice de eleitos pelos promotores e procuradores de Justiça, caberá ao recém eleito governador, Paulo Câmara. Não podemos aceitar que um procurador de Justiça que tanto mal fez ao Ministério Público, que é uma instituição nossa, para a defesa da sociedade e não um clube de apaniguados, continue nas mãos de quem não tem respeito por nós. Na gestão do senhor Fenelon, a sociedade civil, razão de ser da existência do próprio Ministério Público, foi aviltada sem qualquer cerimônia. Foi na gestão do promotor de Justiça Aguinaldo Fenelon, que por pressão do governo Eduardo Campos e das empreiteiras, a promotora de Meio Ambiente do Recife, Belize Câmara, foi afastada de suas funções, para não mais incomodar os poderosos com suas ações em defesa do patrimônio público ambiental de nossa cidade, foi na gestão do senhor promotor Aguinaldo Fenelon que inimigos políticos do governador Eduardo Campos e do PSB tiveram seus processos acelerados enquanto os inquéritos contra aliados do governador dormiam em gavetas. Foi na gestão do senhor Fenelon que uma denúncia gravíssima feita por promotores de Jaboatão dos Guararapes, contra um assessor de Aguinaldo Fenelon, o promotor Flávio Falcão, foi arquivada pelo próprio Fenelon, quando este, na qualidade de amigo pessoal e chefe direto do denunciado, deveria ter se arguído suspeito, como determina o Código de Processo Penal. Foi na gestão do promotor Fenelon que promotores foram removidos de suas comarcas por incomodarem, com suas atuações probas, os prefeitos ligados ao partido do governador, a ponto de, por ontem do CNMP terem sido reconduzidos, contra a vontade do promotor Fenelon. Por isso e muito mais, cidadãos pernambucanos, conclamo a todos para que acompanhemos ativamente e façamos pressão para que nenhum dos candidatos apoiados por Aguinaldo Fenelon seja escolhido, seja por seus pares, seja pelo governador, para assumir a chefia do Ministério Público de Pernambuco. Queremos um Ministério Público que nos represente e nos encha de orgulho e confiança e com a continuidade do grupo do promotor Aguinaldo Fenelon do comando isso não acontecerá.





A crônica de um fracasso


Por Heitor Scalambrini Costa
Professor da Universidade Federal de Pernambuco


Governos têm sucesso quando executam políticas públicas que respondem aos desafios apresentados, e criam assim condições para um futuro melhor. No caso do que se convencionou chamar da crise de desabastecimento de água em São Paulo, algumas características deste evento foram sendo delineadas, e hoje estão bem definidas.
O sistema Cantareira, que abastece 364 municípios paulistas, de um total de 645, atendendo 27,7 milhões de pessoasque respondem por 73% da receita da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico de São Paulo, a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo detém 50,26% das ações da companhia, e os outros 49,74% estão nas mãos de acionistas privados), poderá deixar 6,5 milhões de paulistanos sem água em suas torneiras. A culpa é menos de São Pedro do que do governo de São Paulo que administra a Sabesp, e que subestimou os impactos das mudanças climáticas, da extração desordenada e descontrolada de recursos hídricos, da falta de conservação e proteção dos mananciais, e, não menos relevante, da poluição.
Faltaram planejamento estratégico na gestão integrada e compartilhada dos recursos hídricos, e os investimentos necessários em obras que poderiam ter amenizado o racionamento existente (sobre o qual o presidente da Sabesp demonstrou descaso ao dizer que “Não existe racionamento, existe uma administração da disponibilidade de água”).
Em 2004, uma série de seminários com especialistas debateram a crise de 2003 do sistema Cantareira, e apontaram para a necessidade de ampliar a disponibilidade de água do sistema, indicando que o melhor caminho para isso era buscar água no Vale do Ribeira através de uma obra que demoraria aproximadamente 10 anos para ser estudada, projetada e concluída, mas que, caso tivesse sido realizada, provavelmente não haveria problema de escassez de água como ocorre atualmente.
E a falta de transparência ficou evidenciada, mais do que nunca, quando foi tornado público um relatório de 2012 da própria Sabesp, revelando o risco de desabastecimento no sistema Cantareira, e alertando investidores da Bolsa de Valores de Nova York para a estiagem prevista e seus impactos nas finanças da empresa. Somente encarou o problema a partir do inicio de 2014, quando criou um bônus para quem economizasse água.
A irresponsabilidade técnica e gerencial da empresa merece ser destacada. O plano enviado a ANA (Agência Nacional de Águas) para operar o sistema Cantareira até abril de 2015 não tem amparo adequado na realidade. A probabilidade de recuperação do sistema é altamente arriscada, com um cenário traçado que já não se confirma neste mês de outubro (2014).
A arrogância e soberba dos gestores da água em São Paulo levaram a Justiça Federal a proibir a captação da segunda cota do volume morto do sistema Cantareira, já que a empresa vinha captando mais água que o autorizado. Tudo se faz para não decretar oficialmente o racionamento, nem prejudicar o valor de suas ações na bolsa. A água é tratada como um mero “negócio”, não como um bem coletivo.
Apesar dos problemas verificados nos anos 2000, o que se constatou foi um aprofundamento ainda maior da política da água como mercadoria, e da empresa a serviço do mercado e de interesses políticos escusos, com diretorias indicadas por estes interesses inconfessos, sem nenhuma abertura para um planejamento técnico sério, vinculado às necessidades da população. Prova disso é o quadro funcional da Sabesp, reduzido de 21 mil trabalhadores para 14 mil. Em particular, o setor de engenharia e operação foi diminuído a ponto de, atualmente, várias unidades terem um quadro de técnicos capacitados abaixo da necessidade para a atividade fim da companhia. Por outro lado, no último balanço divulgado foi comemorado um lucro de 1,9 bilhões de reais da companhia, mostrando que do ponto de vista mercadológico a empresa vai bem.
O centro da questão está na malfadada gestão dos recursos hídricos de responsabilidade do governo do estado de São Paulo. Não por acaso o Ministério Público possui, segundo a Promotoria de Justiça do Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente, 50 investigações sobre a gestão da água feita pela Sabesp.
A mercantilização de um bem essencial a vida, cujo lucro, ao invés de usar na realização de obras, paga dividendos a acionistas e especuladores é que tem provocado uma crise de tal dimensão,  e consequentemente o sofrimento da população paulista.

sábado, 25 de outubro de 2014

TSE proíbe 'Veja' de fazer propaganda de capa com Dilma e Lula

RICARDO BRITO - O ESTADO DE S. PAULO
25 Outubro 2014 | 07h 52

Decisão atende a pedido da campanha petista, que vê benefício eleitoral a Aécio Neves com publicidade de reportagem

Brasília - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu liminar na noite desta sexta-feira, 24, que proíbe a editora Abril, responsável por publicar a revista Veja, de fazer propaganda em qualquer meio de comunicação da reportagem de capa segundo a qual a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teriam conhecimento do esquema de corrupção da Petrobrás. A reportagem diz se basear em depoimento prestado na última terça-feira, 21, pelo doleiro Alberto Youssef no processo de delação premiada a que ele se submete para ter direito à redução de pena.
O pedido para impedir a publicidade da matéria foi apresentado pela campanha de Dilma na tarde desta sexta-feira. A defesa da petista requereu ao tribunal que a revista se abstivesse fazer propaganda de sua capa, que tem, na opinião dos advogados de Dilma, conteúdo ofensivo à candidata à reeleição. Para a campanha petista, uma eventual publicidade do caso tem por objetivo único beneficiar a candidatura do tucano Aécio Neves.
A ação da defesa de Dilma se ampara no artigo da Lei das Eleições que prevê que a propaganda eleitoral no rádio e na televisão restringe-se ao horário gratuito, sendo proibida a veiculação de propaganda paga. Essa mesma vedação, segundo campanha da petista, é estendida à divulgação de propaganda na internet e por meio de outdoors. Em caso de descumprimento da liminar, os advogados de Dilma cobram a aplicação de multa de R$ 1 milhão por veiculação proibida.
A campanha da presidente argumentou ainda que a revista Veja antecipou sua edição em dois dias com a “nítida intenção de tumultuar a lisura do pleito eleitoral do próximo domingo (26)”. Citam ainda que a revista teria postado no Facebook dela, com 5,4 milhões de seguidores, notícia com o título “Tudo o que você queria saber sobre o escândalo da Petrobrás: Dilma e Lula sabiam”. Essa propaganda teria sido reproduzida na página oficial do PSDB, partido do adversário na disputa ao Palácio do Planalto, também na mesma rede social.
Em sua defesa, a Editora Abril sustentou que as liberdades de comunicação e de atividade econômica são direitos previstos na Constituição. Esses direitos, disse a editora, "não podem ser sufocados por medidas de cunho censor sob a alegação de imaginária propaganda eleitoral”. Para Abril, o que se pretende é “impedir a imprensa de divulgar assunto que a sociedade tem o direito de tomar conhecimento”. “Não houve ilícito algum na matéria publicada na edição e tampouco nas propagandas de divulgação da revista, de modo que a representada (Editora Abril) agiu no seu estrito direito constitucional”, afirmou.
Em parecer, o procurador-geral Eleitoral, Rodrigo Janot, manifestou-se a favor da campanha da Dilma. Para Janot, diante da iminência da realização de uma propaganda eleitoral irregular, é necessário proibir a divulgação das publicidades sob pena de acarretar “prejuízo irreparável ao equilíbrio e (à) lisura do pleito”.
Em sua decisão, o ministro Admar Gonzaga, relator do processo, afirmou que há elementos para acatar o pedido liminar, suspendendo, até o julgamento do mérito, qualquer publicidade da editora sobre o assunto. Segundo ele, cabe ao TSE “velar pela preservação da isonomia entre os candidatos que disputam o pleito”. “Desse modo, ainda que a divulgação da revista Veja apresente nítidos propósitos comerciais, os contornos de propaganda eleitoral, a meu ver, atraem a incidência da legislação eleitoral, por consubstanciar interferência indevida e grave em detrimento de uma das candidaturas”, afirmou o ministro.
Admar Gonzaga - um dos advogados da campanha de Dilma em 2010 - disse ainda que a antecipação em dois dias da divulgação da revista “poderá transformar a veiculação em verdadeiro panfletário de campanha, o que, a toda evidência, desborda do direito/dever de informação e da liberdade de expressão”.
“No caso, muito embora o periódico possa cuidar - em suas páginas - desse tema sensível, confirmando sua linha editorial de maior simpatia a uma das candidaturas postas, entendo que a transmissão dessa publicidade por meio de rádio, ou seja, de um serviço que é objeto de concessão pelo Poder Público e de grande penetração, desborda do seu elevado mister de informar, com liberdade, para convolar-se em publicidade eleitoral em favor de uma candidatura em detrimento de outra”, afirmou o ministro, em decisão divulgada às 23h36 desta sexta-feira, 24.

DELEGADO E PROCURADOR DA REPÚBLICA QUE CONDUZEM DELAÇÃO DE YOUSSEF TÊM QUE SE EXPLICAR



De acordo com essa ilustração, a tal delação premiada do doleiro Youssef, que sempre Operou para o PSDB e que está sendo usada pela Veja para dar um golpe de Estado em nossa democracia, só foi presenciada pelo advogado, pelo delegado da polícia federal que preside o inquérito e por um procurador da República. Quem vazou, se é verdade que alguém vazou alguma coisa, já que a Veja já é conhecida por suas mentiras, cometeu crime pelo qual poderá perder o cargo e ser condenado como o foi o Delegado Protógenes, essa semana, pelo Supremo, com relação à Operação Satiagraha e ainda beneficiar os criminosos com a anulação das provas. Tudo isso pra fazer Aécio presidente e derrotar a Dilma e o PT? Cheira mal. Aliás, fede! Por isso, nós o povo brasileiro, queremos saber os nomes do delegado e do procurador da República envolvidos no caso e que eles sejam chamados a dar explicações sobre esse suposto vazamento.

SAIBA MAIS



http://www.infomoney.com.br/petrobras/noticia/3654700/advogado-diz-estar-perplexo-desconhecer-depoimento-yousseff-sobre-lula-dilma

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

TSE se acumplicia com a Veja em golpe contra a democracia brasileira



http://inter03.tse.jus.br/sadpPush/ExibirDadosProcesso.do?nprot=321182014&comboTribunal=tse



Ao negar a liminar requerida pela Coligação Com a Força do Povo e pela candidata à reeleição Dilma Rousseff, para recolher a edição da revista "Veja", que traz em sua Capa afirmação caluniosa contra a presidenta da República Dilma e contra o ex-presidente Lula, de que eles "sabiam" sobre o esquema de corrupção montado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa juntamente com o doleiro Alberto Youssef com empreiteiras que prestavam serviços para a estatal, o TSE compactua com o golpe que a mal afamada publicação semanal tenta, mais uma vez, aplicar contra a democracia brasileira, ao engendrar uma farsa abjeta, com o propósito claro de influir no resultado das eleições presidenciais mediante a criação de factoides sem quaisquer provas ou mesmo indícios.


A simples confrontação entre o que a Revista "Veja" afirma em sua capa, ou seja, que "Eles sabiam de tudo" e o conteúdo da reportagem já seria suficiente para que a liminar fosse concedida, uma vez que há flagrante contradição entre ambos, conforme se depreende pela leitura do seguinte trecho, pinçado das páginas 62/63, do semanário, ao qual o jornalista e blogueiro Paulo Henrique Amorim, com toda razão, já alcunhou de "detrito de maré baixa". Senão vejamos: "Gabrielli poderia ter realizado toda essa manobra sem que Lula soubesse? O fato de ter ocorrido no governo Dilma é uma prova de que ela estava conivente com as lambanças da turma da estatal? Obviamente, não se pode condenar Lula e Dilma com base apenas nessa narrativa. Não é disso que se trata. Youssef simplesmente convenceu os investigadores de que tem condições de obter provas do que afirmou a respeito de a operação não poder ter existido sem o conhecimento de Lula e Dilma".







Observem, estimados leitores, o grau de leviandade, de bandidagem, golpismo e má-fé, da revista Veja, ao afirmar, em sua capa, em letras graúdas que Dilma e Lula sabiam, quando, em seu interior, na própria matéria, diz coisa bem diversa, afirma não ser possível afirmar que Lula e Dilma sabiam, mas que os investigadores acreditam, segundo uma interpretação subjetiva, seja da Veja, seja dos supostos investigadores que teriam, estranhamente vazado seu juízo de valor (cometendo crime funcional da mesma natureza daquele pelo qual o delegado Protógenes foi condenado, pelo Supremo, esta semana, é bom lembrar) que o delator teria, quem sabe, condições de, talvez, vir a provar o que alega.

Se da Veja não se poderia esperar atitude diversa, ou seja, jornalismo ético, responsável, pois já virou, há muito tempo, um panfleto a serviço da extrema direita sem nenhuma credibilidade, pelo menos do Tribunal Superior Eleitoral era de se esperar que salvaguardasse a higidez do processo eleitoral em homenagem ao regime democrático que tanto nos é caro.

Sejamos nós, então, a denunciar mais esse golpe da direita golpista e odienta que não tolera ver o pobre fazendo três refeições por dia, frequentando universidade e tendo uma vida minimamente digna. Sejamos nós a repudiar qualquer tentativa de fraude, seja por que meio for à vontade soberana do povo que é de reconduzir Dilma para mais quatro anos de inclusão social e de governo popular. Domingo é Dilma de novo, com a força do povo! Golpista não passarão!!!

DILMA DETONA REPORTAGEM CALUNIOSA DA VEJA

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Contra os barões da Mídia, a oligarquia Campos e os demotucanos é 1 é 3 é Dilma Outra Vez!


Caminhada com Dilma e Lula pelas Ruas do Centro do Recife, em 21/10/2014
(Foto: Rodrigo Baltar)

As Redes Sociais têm desempenhado um papel fundamental nesse segundo turno das eleições presidenciais, principalmente em Pernambuco, onde praticamente todos os veículos tradicionais de comunicação, desde rádios até a mídia impressa, puseram-se a serviço da candidatura do tucano Aécio Neves, desde que a Família Campos e a ala do PSB, comandada pela oligarquia Campos, revelaram seu apoio ao candidato do PSDB que perdeu em Minas Gerais, seu Estado natal, mas que tem a ousadia de se ver vitorioso em Pernambuco, para que os oligarcas Campos provem ao Brasil que conseguem colocar cabresto no povo pernambucano, povo historicamente conhecido por seu espírito aguerrido e libertário.

Aécio Neves não tem nenhuma afinidade com o povo pernambucano. Para além disso, jamais moveu uma única palha em prol do Estado de Pernambuco, tendo, inclusive, questionado a vinda da fábrica da FIAT para a cidade de Goiana, que gerará emprego e renda para a região Nordeste, pois no seu entender, explicitado em discurso feroz contra a política do governo Dilma para o Nordeste, o empreendimento deveria ter ido para Minas Gerais.

Quando o vereador André Regis, do PSDB, conseguiu aprovar um título de cidadão recifense para Aécio Neves, não faltaram questionamentos, em toda a cidade, sobre o que o já presidenciável tucano fizera, por nossa cidade, para merecer tal honraria e hoje o que se questiona é o porquê de tanto empenho da oligarquia Campos, em impor, aos pernambucanos, a candidatura de alguém que continuamos a questionar o que fez para merecer a honra de receber o nosso voto, o voto do povo pernambucano, quando nem o povo mineiro, que por ele, Aécio Neves, foi governado por dois mandatos, nele confiou para presidir o país.

Não há um único ato, projeto ou ação que se possa apontar como sendo de iniciatiava ou autoria de Aécio Neves em benecífio de Pernambuco ou do próprio Nordeste e  os oligarcas do clã Campos, de repente, por puro ódio ao PT e à presidenta Dilma ou por ganância mesmo, querem nos dizer que esse candidato, o candidato deles, é o melhor para Pernambuco e para o Nordeste.

Segundo os oligarcas Campos, juntamente com os insignificantes demotucanos que a eles se agregaram em Pernamnbuco, graças às “doações” eleitorais já denunciadas pelo Conversa Afiada (v. link) envolvendo repasses para financiamentos de campanhas, via “caixa dois”, em 2012, de Aécio Neves para Eduardo Campos e Geraldo Júlio, que beiraram a casa dos R$ 3 milhões, é o Aécio Neves, que nunca fez nada por Pernambuco e não a presidenta Dilma, que, por sua vez, já deu provas e mais provas de seu apreço e compromisso com nosso Estado e com o Nordeste.

Eixo Leste de Integração do São Francisco
"Na última segunda-feira, 13, foram iniciados 
os testes de bombeamento da EBV-1
cumprindo o cronograma oficial de andamento
das obras. Até o final deste ano, a Meta 1 
Leste estará em pré-operação, o que significa
que os sistemas, os equipamentos e as 
estruturas estão em preparação 
para a futura operação comercial."
Foto: Moreira Jr.
Dilma fez muito por Pernambuco. Fez demais pelo Nordeste. Foram bilhões e bilhões de investimentos que geraram emprego, renda e que colocaram o povo nordestino no mapa da dignidade. Infelizmente, como todo remédio, o remédio que os governos Lula e Dilma aplicou para a saúde social e econômica do  Nordeste
trouxe efeitos colaterais negativos e um dos piores foi a projeção de oportunistas e parasitas no cenário regional e até nacional, que depois de se beneficiarem, à exaustão, de todos os projetos de inclusão social e desenvolvimento que os governos petistas trouxeram para nossa região, resolveram usar o prestígio conquistado à custa desses benefícios, como moeda de barganha para seus projetos inescrupulosos de poder.
Eixo Leste de Integração do São Francisco
O empreendimento apresenta 66,1% de execução física
com 11.493 trabalhadores e 4.101 máquinas
Foto: Adalberto Marques

Agora, auxiliados por uma mídia que se alimenta dos cofres públicos e, portanto, sem a necessária independência para fazer um jornalismo à altura dos próprios profissionais que emprega, os parasitas que cresceram politicamente, em Pernambuco, às custas dos governos Lula e Dilma, querem atentar contra a inteligência e a boa fé do povo pernambucano, levando-o a virar às costas a quem sempre esteve de braços abertos e cofres voltados para esse mesmo povo.

Mas o povo pernambucano, ao que tudo indica, acordou da letargia em que esteve mergulhado nos últimos tempos e resolveu sair às ruas e ganhar as Redes Sociais para defender seu legado que é o legado do governo do povo, o governo de Dilma e Lula que será reeleito no próximo dia 26 e ainda com uma expressiva votação aqui em Pernambuco e em todo o Nordeste que saberá dar uma lição aos emissários da mentira e porta-vozes do atraso que se travestiram de Nova Política para tomarem do povo, os direitos e avanços tão duramente conquistados nesses últimos 12 anos.


Por isso que eu digo e digo e repito, sem medo de ser feliz, que dia 26 é Dilma de novo com a força do povo. É 1 é 3, é Dilma outra vez!

Caminhada com Dilma e Lula pelas Ruas do Recife, em 21/10/2014 (Foto: Rodrigo Baltar)


DESMASCARANDO A MIDIA PATROCINADA COM O NOSSO DINHEIRO PRA NOS ENGANAR













Videos mostrando a fracassada manifestação pró-Aécio, ontem, no Marco Zero: