quinta-feira, 21 de julho de 2016

TCE VAI INVESTIGAR DENÚNCIAS DE NOMEAÇÕES E CONTRATAÇÕES ELEITOREIRAS POR GESTÃO GERALDO JÚLIO




Por meio do Processo nº 1605889-6, o Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco começa a investigar a denúncia formalizada pelo ex-vereador do Recife, Sérgio Magalhães, hoje filiado ao PMN, de que a gestão Geraldo Júlio, do PSB, teria nomeado servidores comissionados e contratado empregados por meio de empresas prestadoras de serviços terceirizados, no intuito de favorecer aliados políticos do prefeito, candidato à reeleição.



Um dos casos que tem chamado a atenção do meio político local é a recente adesão do Partido da Mulher Brasileira - PMB, à reeleição de Geraldo Júlio. O PMB é dirigido, em Pernambuco, pela vereadora Juliana Paranhos, do Município de Abreu e Lima, que anunciou seu apoio à reeleição de Geraldo Júlio, no dia 06 de abril de 2016, segundo notícias amplamente divulgadas na mídia (Leia AQUI) e no próprio Facebook do PSB (ver "print" acima), chegando ao ponto do PMB se utilizar de seu tempo de Propaganda Partidária para fazer promoção da gestão do prefeito.

Passado pouco mais de um mês do anúncio do apoio, um primo da presidente do PMB, o jovem SÉRGIO RICARDO MACÊDO DINIZ, foi agraciado com um cargo de alta patente do Gabinete de Representação do Prefeito em Brasília, com função gratificada no valor de R$ 7.959,38 com nomeação e pagamentos retroativos, totalizando R$ 18.943,12, líquidos, em dois meses, coincidentemente, à data em que foi anunciado o acordo que resultou no apoio do PMB à reeleição de Geraldo Júlio. Confiram:





FONTE: PORTAL DA TRANSPARÊNCIA DA PCR

Dados colhidos dos Perfis do Facebook da presidente do Partido da Mulher Brasileira, Juliana Paranhos e de seu primo Sérgio Macedo, que foi nomeado para o cargo de Gerente do Gabinete de Representação em Brasília comprovam o parentesco entre ambos. Juliana Paranhos é sobrinha de Nina Rosa Paranhos, que, por sua vez é a orgulhosa mãe do jovem Gerente da Representação de Geraldo Júlio em Brasília. Confiram:





Geraldo Júlio e o PSB têm anunciado com pompa e circunstância que vários Partidos têm manifestado apoio a sua reeleição. Resta saber qual a base desses apoios. Entretanto, uma coisa é certa: todos estarão na mira não apenas dos órgãos fiscalizadores, já que a denúncia deverá levar à investigação de todos os apoios que têm sido anunciados, não apenas o do PMB, pelo TCE e pelo Ministério Público Eleitoral, por eventual abuso de poder político e econômico, que poderá, inclusive, acarretar inelegibilidade e cassação do registro de candidatura do atual prefeito, mas dos próprios eleitores que andam fartos desse tipo de prática que o PSB apelidou de "Nova Política".

TURBULÊNCIA: ADEMAR RIGUEIRA REVELA MEDO DE QUE DELAÇÃO ATINJA OUTROS MEMBROS DA ORCRIM

Jornal do Commercio, 21/07/2016

O advogado Ademar Rigueira, que patrocina as defesas de Eduardo Leite, vulgo "Ventola" e Apolo Santana, que, segundo a Polícia Federal, no Inquérito nº 163/2016, comandariam a organização criminosa responsável por lavar R$ 600 milhões de recursos ilícitos, desviados de obras públicas para campanhas do PSB e de seus aliados e que estão presos no COTEL, juntamente com João Carlos Lyra e Arthur Rosal, em decorrência da Operação Turbulência, desencadeada a partir das suspeitas de que o jatinho, cuja queda vitimou o ex-governador Eduardo Campos, fora adquirida com dinheiro de propina e Caixa 2 (LEIA AQUI), fez declarações bastante comprometedoras contra seus clientes, na edição de hoje, do Jornal do Commercio.

Segundo Ademar Rigueira, a manutenção de seus clientes no COTEL, por determinação do TRF da 5ª Região, referendando decisão da Juíza da 4ª Vara Federal em Pernambuco, teria por finalidade "forçá-los a entrar em acordo de delação premiada". Na edição do JC, lê-se a seguinte declaração do criminalista, onde, repetindo prática corriqueira de advogados de corruptos do colarinho branco, faz críticas ao Juiz Sérgio Moro: "Eu não tenho como afirmar que, neste caso específico, a justiça quer forçar uma delação premiada do meu cliente. É sabido que tem sido uma prática recorrente da Operação Lava Jato, o próprio Sergio Moro admite isso abertamente. É lógico que, como se tem uma prisão como esta, se pressupõe isso."

Ademar Rigueira também advoga para a família de Eduardo Campos e para vários políticos do PSB, inclusive para o sócio do espólio de Eduardo Campos, o ex-presidente da Copergás, Aldo Guedes, que é investigado, juntamente com o senador Fernando Bezerra Coelho, no Inquérito nº 4005/2015-STF, por envolvimento no pagamento de propina pela empreiteira Camargo Correia, do valor de R$ 20 milhões, para a campanha de Campos, ao governo do Estado de Pernambuco, em 2010, por intermédio de contratos fantasmas, com a Master Construtora (LEIA: ALDO GUEDES FOI APONTADO COMO DESTINATÁRIO DAS PROPINAS ENTREGUES A LYRA PELA CAMARGO CORREIA e Ex-sócio de Eduardo Campos negociou propina de R$ 20 mi na Petrobrás, diz delator):


ACESSE A ÍNTEGRA DA DELAÇÃO CONTRA ALDO GUEDES AQUI

Mas o que chama nossa atenção nas declarações de Rigueira? Ora, como é que um advogado pode insinuar que as autoridades judiciárias estariam mantendo seus clientes presos com o único intuito de forçá-los a assinarem acordo de delação premiada se esse advogado não estivesse com essa insinuação reconhecendo culpa nos próprios clientes? Qualquer acadêmico de Direito bem sabe que as delações só podem ser homologadas se o delator fornecer além do relato, elementos probatórios que confirmem o que está relatando de seus comparsas. De nada adianta manter alguém preso para que fale coisas improváveis. Portanto, as declarações de Regueira depõem não contra a justiça que, diante de provas contundentes da existência e atuação de uma organização criminosa montada por seus clientes para cometer crimes contra o povo, não só de Pernambuco, mas do Brasil, crimes gravíssimos, como bem acentuado pelo juízo de primeira instância e reforçado pelo Tribunal, decidiu, de maneira fundamentada mantê-los presos preventivamente, mas contra seus próprios clientes, pois só confirma o medo de Regueira de que venham a confessar os crimes que de de fato cometeram e mais, que venham a delatar seus comparsas, pois, Ademar Regueira ainda deixa no ar que a organização criminosa não está toda presa, mas protegida pelos cúmplices detidos no COTEL, que, acaso liberados poderiam entregá-los.

A Polícia Federal, o Ministério Público e o Poder Judiciário e, acima de tudo, a população não podem deixar passar em branco essas declarações do advogado dos "laranjas" do jatinho, Sr. Ademar Rigueira, pois deixa claro que há membros da organização criminosa que ainda andam por aí livres para cometer crimes e, quiçá, para intimidar testemunhas e agentes públicos. Nós não vamos desistir de ver todos os integrantes dessa quadrilha presos e punidos. Doa a quem doer.

CICLISTAS PERDEM BICICLETAS POR CAUSA DAS PROMESSAS DE CAMPANHA NÃO CUMPRIDAS DE GERALDO JÚLIO

Foto cedida por leitores do Blog da Noelia Brito

Após denúncias de que a gestão Geraldo Júlio, por intermédio da SEMOC - Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano, estaria realizando ação truculenta de apreensão de bicicletas presas, por cadeados e correntes, a postes, árvores e outros meios que possam, de alguma forma evitar que sejam furtadas, a Prefeitura do Recife emitiu nota afirmando que a ocorrência mencionada na denúncia, que ganhou as Redes Sociais e chegou a gerar matéria ma edição de hoje do Jornal do Commercio, teria sido apenas um fato isolado.

De acordo com a denúncia feita, com fotos e minucioso relato (Leia AQUI), no Facebook, a SEMOC realizou a ação de apreensão ali denunciada e que segundo sua nota, teria sido apenas "pontual", na Av. Conde da Boa Vista, nas proximidades do Cine São Luiz (Beco do Fotógrafo).


A SEMOC, entretanto, falta com a verdade, ao afirmar que a ação foi apenas "pontual", pois nosso Blog teve acesso a imagens de outras apreensões de bicicletas realizadas por equipes daquela Secretaria, no exato momento em que estavam sendo executdas, sendo de se estranhar que a apreensão de bens de valor estejam sendo feitas em nome da gestão Geraldo Júlio e esta afirme desconhecer tais ações. 

Foto cedida por leitores do Blog da Noelia Brito
Além das imagens do flagrante de outra apreensão ocorrida na Avenida Boa Viagem, depoimentos de usuários de bicicletas dão conta de que as apreensões vêm ocorrendo há meses, tratando-se, portanto, de fato corriqueiro nessa gestão:


Em novembro de 2015, nosso Blog desmontou o mito montado pela gestão Geraldo Júlio, em cima do excelente ideia do incentivo ao transporte cicloviário (Leia Ciclovias de Geraldo Júlio: o mito). A atitude da gestão em apreender as bicicletas dos usuários desse modal, depois de incentivar-lhes o uso, sem lhes dar, entretanto, qualquer alternativa que lhes garanta a segurança de seu patrimônio, expõe não apenas a incompetência da gestão Geraldo Júlio ao não conseguir avançar além das ciclofaixas de lazer, o uso eleitoreiro do modal, cujos usuários se veem por ele totalmente abandonados.


Foto cedida por leitores do Blog da Noelia Brito



SINDUPROM/PE ACUSA, EM NOTA, PREFEITO DE TABIRA DE PERSEGUIÇÃO POLÍTICA A DIRIGENTE SINDICAL



O Sindicato Único dos Profissionais do Magistério Público das Redes Municipais do Estado de Pernambuco - SINDUPROM/PE divulga "Nota de Repúdio" contra o prefeito de Tabira, Sebastião Dias, do PTB, que estaria perseguindo politicamente a dirigente sindical da entidade, Dinalva Bezerra. Segue a Nota:

SINDICATO DOS PROFESSORES (SINDUPROM/PE),  REPUDIA VEEMENTEMENTE  A  ATITUDE  FASCISTA,  ANTIDEMOCRÁTICA  E TRUCULENTA DO PREFEITO DE TABIRA/PE, SEBASTIÃO DIAS, QUANDO DESENCADEIA UMA ONDA DE PERSEGUIÇÃO POLÍTICA A NOSSA DIRIGENTE SINDICAL,  PROFESSORA DINALVA BEZERRA!
                Afogando em suas próprias irresponsabilidades administrativas, sendo manobrado por um cordão de secretários oportunistas e desesperado com os primeiros resultados das pesquisas eleitorais, que lhe coloca em último lugar no processo sucessório, voltou a sua ira e seu desespero contra o Sindicato dos Professores e a sua dirigente estadual, que é professora efetiva do município, a professora Dinalva Lima Pereira Bezerra, na tentativa vã de destruir a única organização sindical do município, buscando intimidar, amordaçar, calar, prejudicar e assediar a nossa representante sindical, que tem dado uma grande contribuição na construção do SINDUPROM/PE,  em Tabira-PE e em vários outros municípios de Pernambuco.
               Imaginamos nós, que grande parte do povo de Tabira-PE, já ouviu falar do ditado popular que diz: “Quer conhecer um homem, dê poder a ele”.  O tocador de viola, repentista crítico das grandes platéias, gostava sim, de criticar os “outros”, “atirar pedra no telhado de vidro dos outros”, deitando e rolando da miséria alheia. Agora se enforca com as suas próprias mãos, começando a mostrar que é uma pessoa perigosa, intolerante, com práticas anti-sindicais e antidemocráticas, sem nenhum escrúpulo quando se trata de se manter no poder a todo custo, nem que para isso, tenha que humilhar,  maltratar, assediar, menosprezar, tentar destruir as organizações sindicais que não comungam com a sua forma de administrar o município, confundindo a administração pública, com a administração de suas fazendas. Quer que o SINDUPROM/PE seja seu capacho, abdique dos direitos da nossa categoria em prol da sua ganância financeira e seus interesses privados, junto com a sua corriola de “lambi botas”, “beija mão de patrão”, que é o que mais tem hoje, cercando o prefeito e lhe “servindo”, até quando ele estiver com a chave dos “cofres públicos” nas mãos e poderem comer toda a carne que resta do patrimônio do povo de Tabira-PE.
           O novo “Coronel Sebastião da Viola” pensa que em Tabira-PE, os cidadãos são idiotas, são “bois de curral”, que se deixam dobrar, botar “canga”, levar chibatada de um homem que agora,  se arroga como “o Senhor do Pajeú”,  que gosta de manipular sem o mínimo pudor, mínimo escrúpulo ,  com práticas prepotentes e opressivas só vistas na época da ditadura militar ou nas capitanias hereditárias.
               Ataca o sindicato dos professores, por esse não baixar a guarda para seus desmandos na Secretária de Educação, que foi entregue a uma professora sem as mínimas condições emocionais e pedagógicas de dialogar com os professores e a comunidade escolar, a não ser, debaixo de gritos e ordens severas, que é o que essa senhora sabe bem fazer, além de ser manipulado e teleguiado por um super secretário de administração, que é tão prepotente, que obriga professores a assinar papel em branco  para assegurar uma possível avaliação por desempenho.
Ora, se quer peitar os professores com a sua arrogância e métodos truculentos, buscando retirar direitos e negar o que nós já adquirimos, pelo menos respeitasse a boa prática organizativa e o respeito à Convenção 98 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que o Brasil é signatário, em que o governo brasileiro se compromete a respeitar as organizações e os dirigentes sindicais, assegurando a autonomia e a independência das organizações dos trabalhadores, o que está aqui sendo flagrantemente desrespeitada pelo mandatário local e que com certeza, terá a resposta dos professores organizados no seu sindicato e da população de Tabira-PE, que nunca suportou esse tipo de método de perseguição aos professores, principalmente a uma d exemplar e nobre companheira, como a professora Dinalva Lima Bezerra.
               O SINDUPROM/PE continuará a sua luta em defesa da nossa categoria e dos direitos dos trabalhadores, queira o senhor prefeito ou não, pois não devemos a ele, nenhum favor. Lembrando que a liberação da professora Dinalva, da sala de aula conseguida pelo SINDUPROM/PE na última negociação com o Sr. Prefeito, não foi para a mesma ficar a disposição do sindicato dos professores, como reivindicamos e sim, colocar um professor substituto para lecionar no seu lugar, enquanto a professora  desempenhava alguma atividade sindical, ficando o próprio sindicato responsável para efetuar o pagamento do professor substituto.
                Todos os sindicatos dos servidores e professores públicos, tem uma quantidade de horas aulas de liberação de dirigentes sindicais, para que os mesmos possam desempenhar seu mandato classista e em Tabira-PE, temos na legislação municipal esse direito assegurado. Mas agora, o mandatário do município, refém de suas irresponsabilidades políticas e administrativas, virou também um fora da lei, quando não permite que a diretora do sindicato dos professores seja liberada como manda a lei do Plano de Cargos e Carreira dos Profissionais do Magistério.
                Tornamos públicos essa aberração que aconteceu hoje, dia 19 de Julho de 2016, para denunciarmos que o Sr. Prefeito, além de não honrar com a sua palavra, rasgando acordos por ele assumido, persegue descaradamente  e autoritariamente quem sempre contribui com a escola pública do município e ajudou a fazer uma Tabira-PE diferente!  
               Seguiremos um só caminho, que nos levará a uma terra sem opressores e sem oprimidos e não será esse prefeito mão de ferro, travestido de repentista, que irá nos calar ou matar os nossos sonhos!
Avante companheiros professores!
SINDICATO É PRA LUTAR!  JAMÁIS PARA CONCILIAR!
SINDUPROM/PE

Leia AQUI

SAIBA MAIS SOBRE O PREFEITO SEBASTIÃO DIAS





terça-feira, 19 de julho de 2016

ALEGANDO FALTA DE RECURSOS PRA CONSERTAR TELHADO, GERALDO JÚLIO MANDA FECHAR AMBULATÓRIO DA MULHER NA TAMARINEIRA





O Blog recebeu denúncia de que, por desídia da gestão Geraldo Júlio, desde a ocorrência das últimas fortes chuvas que caíram sobre a cidade do Recife, o AMEM – Ambulatório da Mulher (Distrito Sanitário III), situado na Rua Soares Moreno, S/N, Vila dos Comerciários, na Tamarineira, está funcionando de improviso, numa sala da Policlínica Albert Sabin, na Jaqueira, tudo porque a Secretaria de Saúde ignora os pedidos feitos pela Administração daquela unidade, para que fosse providenciada a revisão do telhado da casa onde o AMEM/DSIII se encontra instalado, havendo pedidos de providências que remontam ao ano de 2013.

Causa estranheza o fato de que, de repente, inaugurado o Hospital da Mulher, que será uma espécie de mostruário da campanha do Prefeito Geraldo Júlio, apareça um orçamento de R$ 300 mil para o conserto do telhado do imóvel, onde se encontra instalado o AMEM/DSIII, como que para justificar que uma unidade de saúde, que funciona há pelo menos 30 anos, prestando serviços de saúde de qualidade, voltados às mulheres daquela comunidade, tais como, ginecologia, mastologia, psicologia, prevenção do câncer do colo do útero, sendo, inclusive considerado referencia municipal, tenha suas atividades encerradas e seus profissionais do mais alto gabarito, distribuídos por outras unidades, tão somente por causa de um telhado avariado, por causa da incompetência da gestão Geraldo Júlio e da desculpa de que faltam recursos para o reparo desse telhado, a um custo que não se sabe ao certo se corresponde à realidade.

Será que a inauguração do Hospital da Mulher justifica fechar todos os demais serviços de referência correlatos distribuídos pelos demais distritos da Capital? Com a palavra a população que se utiliza desses serviços e os profissionais que os prestam.

IMAGENS DO TELHADO AVARIADO















PSTU LANÇA PROFESSORA SIMONE FONTANA À PREFEITURA DO RECIFE EM CONVENÇÃO MARCADA PARA O DIA 20 DE JULHO



O PSTU de Pernambuco parece não ter se abalado com o racha nacional que levou parte de sua militância e marca, para amanhã, sua convenção para lançar a candidatura de uma de suas militantes mais atuantes, na luta dos profissionais de Educação à Prefeitura do Recife: a professora Simone Fontana que é dirigente do SIMPERE - Sindicato Municipal dos Professores da Rede Oficial do Recife.

Simone Fontana, que é muito querida pela categoria que integra, por sua simpatia e disposição para a luta, é militante histórica do Partido e das causas ligadas à Educação, já tendo disputado o Senado e uma vaga à Câmara Municipal do Recife, também pelo PSTU.
Além da professora Simone Fontana, os professores José Mariano, Hélio Cabral e Lourdes Fiorentino também serão serão oficializados candidatos, sendo que o Mariano integrará a chapa majoritária do PSTU como Vice, enquanto Lourdes, que também é do SIMPERE e da Rede Municipal do Recife e Hélio que é professor da UFRPE e sindicalista, formarão a chapa de vereadores.

A grande novidade da chapa será a vinda de Jair Pedro na disputa proporcional a uma vaga de vereador. Em todas as disputas anteriores, Jair, que é servidor estadual da área de Saúde, a qual conhece com profundidade, veio como candidato a cargos majoritários, razão pela qual espera-se que tenha um bom desempenho em sua estreia em disputas proporcionais, tendo em vista o "recall" das eleições anteriores e o fato da chapa se apresentar como "um contraponto à falsa polarização entre governistas e a oposição burguesa na capital pernambucana".

De acordo com a nota divulgada pelo PSTU, a Convenção que homologará as candidaturas suas candidaturas, "não será uma convenção como de outros partidos, no lugar da formalidade de assessores e cabos eleitorais reunirá a militância e apoiadores para debater um programa dos trabalhadores para a prefeitura do Recife."

A nota afirma, ainda, que a "pré-candidata a prefeita pelo PSTU, Simone Fontana, tem um longo histórico de luta ao lado dos trabalhadores, sobretudo dos trabalhadores e trabalhadoras da Educação do Estado de Pernambuco e do Município do Recife"  e que para "o PSTU, as eleições possibilitam uma boa oportunidade de discutir com a classe trabalhadora os problemas do país e da cidade e reafirmar que, sob o capitalismo, não haverá solução para o desemprego, a falta de moradia, a miséria e os baixos salários." 

A Convenção está marcada para acontecer a partir das 19 horas do dia 20 de julho, na Rua do Sossego, 220, na Boa Vista.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

"Doações criminosas" abasteceram campanha do PSB, em 2010, afirmam investigadores da Turbulência

Fernando Bezerra Coelho nega ter sido coordenador e tesoureiro das campanhas
de Eduardo Campos ao governo de Pernambuco, funções que teriam sido
desempenhadas por Renato Thiebaut, que também coordenou as
campanhas de Paulo Câmara e Geraldo Júlio

Documentos da Operação Turbulência, a que o Blog teve acesso, revelam que a Polícia Federal, a partir de informações recebidas do Inquérito nº 4005/2015 (Operação Lava Jato), que tramita no Supremo Tribunal Federal, para investigar o recebimento "clandestino de recursos", pelo senador Fernando Bezerra Coelho, do PSB, oriundos da contratação da Construtora Camargo Correia, para as obras da Refinaria Abreu e Lima, para irrigar a campanha eleitoral do ex-governador Eduardo Campos, já falecido, constataram que "a vitoriosa campanha para a reeleição do governador do Estado de Pernambuco em 2010", teria se dado mediante o recebimento de "doação criminosa" que contou com a participação de "operadores do esquema de pagamento de propinas a partidos políticos decorrentes de contratos com a PETROBRAS, visando a obtenção de ajuda ilícita à campanha de seu então correligionário".

Geraldo Júlio sucedeu Fernando Bezerra à frente da Secretaria
de Direito Econômico e de SUAPE durante a gestão Campos
Para tanto, o PSB teria se utilizado de uma rede de "laranjas" comandada por João Carlos Lyra e Eduardo Leite Ventola, atualmente presos preventivamente no COTEL, como forma de esconder a origem ilícita dos recursos utilizados para financiar suas campanhas, simulando contratos com empresas fantasmas, criadas em nome de "laranjas" e saques em espécie, por procuradores dessas empresas, no dizer da própria Polícia Federal, "no evidente intuito de desvincular o dinheiro ilícito de sua origem criminosa".

Leiam diretamente nas imagens obtidas pelo Blog, com exclusividade, trechos das conclusões da Polícia Federal, sobre o "modus operandi" da Organização Criminosa:






 SAIBA MAIS SOBRE RENATO THIEBAUT



sexta-feira, 15 de julho de 2016

MOURA DUBEUX TERIA PAGO R$ 14 MILHÕES EM PROPINA PARA LIBERAÇÃO DE R$ 500 MILHÕES DO CONE SUAPE



De "O Globo"
BRASÍLIA — Acusado de receber propina de contratos do fundo de investimentos FI-FGTS, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha foi passado para trás pelo menos uma vez. Foi o que afirmou Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa e ex-integrante do conselho do fundo. Segundo Cleto, o combinado era que Cunha ficasse com 80% da propina paga por empresas interessadas em obter financiamentos do FI-FGTS. Mas isso não ocorreu em um caso: na liberação de R$ 500 milhões para um projeto habitacional em Pernambuco, da empresa Moura Dubeux.

Segundo Cleto, a trama foi articulada pelo doleiro Lúcio Bolonha Funaro. Em sua delação premiada, Cleto contou que, normalmente, ficava com 4% da propina, Funaro com 12% e Alexandre Margotto, sócio do doleiro, com outros 4%. Mas, no financiamento do projeto habitacional, Funaro combinou com os dois para não falarem nada a Cunha. Assim, os três dividiriam igualmente a propina, que totalizaria R$ 14 milhões. Funaro, porém, não cumpriu o acordo e Cleto recebeu apenas R$ 75 mil. Não restou alternativa a não ser aceitar calado. Segundo o termo de depoimento prestado em abril deste ano, Cleto disse que “não cobrou de Funaro o valor restante da propina devida pois sabia que seria infrutífera a cobrança”.

No mesmo dia, ele relatou outro compromisso não cumprido por Funaro, que prometeu R$ 1 milhão a Cleto para alterar um contrato firmado com a empresa de celulose Eldorado, do grupo J&F, o mesmo do frigorífico JBS. Pelos mesmos motivos — “seria uma cobrança infrutífera” —, Cleto não reclamou o calote sofrido.

Procurados, os advogados de Funaro informaram que não tomaram conhecimento da delação de Cleto. A Moura Dubeux informou que não teve acesso à delação e negou pagamento de propina a funcionários da Caixa ou intermediários. A Caixa não deu retorno ao GLOBO.


Em outro depoimento, Cleto relatou que recebeu propina por um negócio no qual ele não teve influência nenhuma: a liberação de R$ 250 milhões para obras do Corredor Raposo Tavares, uma concessão obtida pela OAS em São Paulo.

Acesse matéria completa AQUI

SAIBA MAIS