Notícias




sábado, 20 de julho de 2013

Eduardo Maquiavel Campos e a esquizofrenia partidária



Graças a Eduardo Campos, a política em Pernambuco se tornou a mais nojenta do país. Aqui existe tucano governista e tucano de oposição; petista governista e petista de oposição; peemedebista governista e peemedebista de oposição e por aí vai...

Por terem feito o dever de casa, ou seja, oposição, os três deputados do PSDB na Assembleia de Pernambuco, foram chamados por um "companheiro" de partido, que estava evidentemente a serviço de Eduardo Campos, de quem ganhou uma Secretaria, de "triunvirato difamatório".

"O sorriso de Eduardo"
O pecado dos tucanos de oposição (sim, porque não podemos esquecer que em Pernambuco existe tucano de situação e totalmente alinhados com Eduardo Campos, como é o caso de Pedro Eurico, Sérgio Guerra, Carlos Santana, apenas para citar alguns) foi denunciar que no Município de Santa Maria da Boa Vista, no Sertão do Estado, é feito uma espécie de rodízio de aulas em uma escola estadual por falta de estrutura para abrigar todos os alunos. O flagrante foi dado durante uma "blitz" que esse grupo costuma dar em repartições públicas:



Em resposta, o "triunvirato" da oposição tucana denunciou Pedro Eurico por alta traição: "Pedro Eurico, arraesista histórico que traiu Arraes, jarbista de carteirinha que traiu Jarbas e líder da oposição na ALEPE no governo de Eduardo que traiu a oposição e foi pro governo. Ele tem um histórico que simboliza a revolta dos donos do poder em perceber que nem todo mundo é igual a Pedro Eurico."


Pelo "histórico" que os próprios companheiros de Partido traçam de Pedro Eurico já podemos avaliar que tipo de gente se associa com Eduardo Campos. Pedro Eurico não é um caso isolado no leque de cooptações promovidas por Eduardo Campos. Ele é apenas mais um dentre tantos que se venderam a Eduardo por alguma benesse. No seu caso especifico, a "vantagem" foi o cargo de secretário da Juventude no governo do Estado, mesmo sendo do Partido que oficialmente, dentro da Assembleia Legislativa, é o único que faz oposição a seu novo patrão, no caso, o governador Eduardo Campos. Como secretário da pasta da Juventude, o grande feito de Pedro Eurico foi arrancar grosseiramente os cartazes com conteúdo pedagógico que internos de uma unidade da FUNASE haviam produzido com a colaboração de seus professores. O ato truculento de Pedro Eurico, que demonstra muito bem que já incorporou sobremaneira as práticas persecutórias e ditatoriais tão comuns na gestão de seu patrão Eduardo, gerou, inclusive, nota de repúdio do Sindicato dos Professores do Estado. 


No mais, as rebeliões e mortes de adolescentes no interior das unidades da FUNASE e as péssimas condições dessas Unidades continuam, sob a batuta vacilante de Pedro Eurico, as mesmas de sempre já sedimentadas pela política de descaso de Eduardo Campos. Mas é claro que essa gestão incompetente ficará, no futuro, creditada por Eduardo, na conta dos tucanos, afinal, o secretário é ou não é do PSDB?




Depois, vejam a confusão que está dentro do PT porque Eduardo quer eleger um outro cooptado, um ouro "Quinta Coluna" seu, pra presidir o Partido dos Trabalhadores (e olha que esse petista, o Oscar Barreto, só recebeu uma migalha de Eduardo, a secretaria executiva de Agricultura). Segundo matéria publicada hoje, no Jornal do Commercio, o senador Humberto Costa e o deputado federal João Paulo teriam até enviado cartas à direção nacional de seu Partido denunciando as manobras de Eduardo para colocar Oscar Barreto na presidência, razão pela qual até as eleições internas da legenda teriam sido adiadas.


De algumas figuras do PMDB, nem falo. Esses foram comprados por um apoio, que talvez nem saia, à reeleição de Jarbas Vasconcelos (que ainda tem que aguentar Eduardo tratando o marqueteiro Antônio Lavareda, seu arquiinimigo - já foram almas gêmeas-, como rei, tanto no Estado, quanto na prefeitura do Recife, onde manda e desmanda) e Raul Henry, que ganhou cargos importantes na PCR (Secretaria de Finanças, Mobilidade e Segurança).



O "modus operandi" de Eduardo Campos segue a máxima maquiavélica do "dividir para governar" e como ele faz isso? Ele compra integrantes de partidos (de oposição, comprar partidos de situação todos fazem), de categorias de servidores ou trabalhadores, com cargos, direções em associações ou sindicatos e, quem sabe até, com outras benesses que estão além da nossa imaginação republicana e depois utiliza esses mesmos indivíduos de caráter duvidoso como "Quintas Colunas" para destruírem qualquer oposição que esses partidos ou categorias, etc., possam vir a apresentar contra seu governo. Como agem os "quinta coluna"? Através de ataques feitos contra aqueles que se atrevem a fazer oposição ao patrão Eduardo Campos e assim são desmoralizados os opositores, as instituições a que pertencem, mas, principalmente, os "quinta coluna" como Pedro Eurico, Jarbas, Raul Henry, Oscar Barreto, etc. Mas é claro que a opinião pública não é burra e percebe que o governista é que não tem moral para se apresentar, pois está intrinsicamente comprometido com os interesses de seu patrão que, em Pernambuco, Recife, Ipojuca, Moreno, onde for, é, em última instância, o próprio Eduardo, que manda até no chefe do Ministério Público e na direção de vários partidos e sindicatos, como todos sabemos. Vejamos, por exemplo a sutil desmoralizada que o colunista do Repórter JC deu em Pedro Eurico, que serve, como uma luva a todos os "Quinta Coluna" de nosso adorado Pernambuco, que de imortal, já tem sido apelidado pelos manifestantes, seja pela internet, seja pelas ruas, de "Pernambuco, Imoral, Imoral, Imoral":



"REPORTER JC
Rinha de tucano
Situação esdrúxula a do secretário estadual da Criança e Juventude, Pedro Eurico, escalado para rebater críticas ao Governo de Pernambuco formuladas por seu próprio partido."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

Siga o Blog por Email

Twitter Updates 2.2: FeedWitter

Seguidores

Vídeos

BoxVideos1

BoxVideos2

Noelia Brito © 2016 Todos os direitos reservados.