STJ instaura, a pedido da Polícia Federal, sindicância para apurar venda de sentenças eleitorais na Paraíba


WSCOM Online

Da redacão

O processo é comandado pela ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça

O cenário político da Paraiba está em fase de efervescência diante de decisão do Superior Tribunal de Justiça de pedir a investigação de denúncias de venda de setenças na Justiaça Eleitoral da Paraiba - informa o jornalista Walter Santos, do Blog do WS, em artigo publicado nesta sexta-feira, 16. A notícia cai como uma bomba no meio jurídico e político da Paraíba. De acordo com informações recebidas pelo colunista, a Polícia Federal investiga a venda de sentenças no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba. Uma testemunha foi ouvida ontem. A ação corre em segredo de Justiça, mas o jornalista teve acesso a dados que comprovam a participação de pessoas de proa da política paraibana no esquema.
O processo é comandado pela ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça, que determinou que Polícia Federal comande a oitiva de testemunhas para anexar o processo.
Ainda segundo informações do colunista, consta no processo escuta telefônica de um dos envolvidos falando sobre o assunto. Apesar de falar em código, os telefonemas foram decodificados e comprovariam a venda de sentenças no TRE paraibano.
Vejamos a notícia na íntegra:
Trata-se de rumoroso processo comandado no STJ pela ministra Laurita Vaz, cujo número é 821/DF e que, confirmado o teor do que já consta em depoimentos, certamente afetará fortemente a credibilidade dos envolvidos certamente respingando no Tribunal.Todo o processo, aliás, foi entregue no CNJ por um Juiz da Paraiba gerando desde anos passados a continuidade da apuração das denúncias envolvendo lideres políticos do Estado.Na prática, um personagem do Interior da Paraiba, de Sousa mais exatamente, andou falando horrores no celular e eis que a PF não só decodificou o assunto por revelar venda de sentenças no Estado como tem nominado os envolvidos, algo que a Coluna preserva em face de vários fatores, inclusive do Segredo Justiça.Ontem, por exemplo, o delegado da PF, Leonardo Paiva, ouviu mais uma testemunha na sede em Cabedelo quando foram ratificadas as denúncias expostas.Em síntese, o futuro da Paraiba em termos de sucessão governamental passa inevitavelmente por este rumoroso caso porque, em se confirmando o que está denunciado, é nitriglicerina pura. Fatal.BANCA JURÍDICAEm Brasilia, reside boa parte dos problemas construidos na negociação financeira do rumoroso caso. Certamente que, por envolver advogado famoso, tenderá a ter forte repercussão nacional.
Com os dados fornecidos pelo WSCOM onLine, fizemos uma pesquisa junto ao STJ e constatamos que, por determinação da Ministra Laurita Vaz, o Inquérito nº 821/DF passou a ser uma Sindicância registrada como SD 231/DF, tendo como partes M. A. de A. e V. V. do R. S. N. e como advogado Victor Hugo Mosquera, OAB/DF 011701

PROCESSO
Sd 341UF: DFREGISTRO: 2012/0254688-5
NÚMERO ÚNICO0254688-19-2012.3.00.0000
SINDICÂNCIAVOLUMES: 1APENSOS: 1
AUTUAÇÃO27/11/2012
REQUERENTEM P F
REQUERIDOM A DE A
RELATOR(A)Min. LAURITA VAZ - CORTE ESPECIAL
ASSUNTODIREITO PENAL
LOCALIZAÇÃOEntrada em GABINETE DA MINISTRA LAURITA HILÁRIO VAZ em 06/06/2013
TIPOProcesso Físico



Comentários

MAIS ACESSADAS DO MÊS

Aos gritos de "tem roubo", alunos protestam contra a falta de Merenda durante visita de Paulo Câmara. Na Prefeitura do Recife, Geraldo Júlio é notificado pelo MPPE para explicar denúncias do SIMPERE sobre irregularidades em contratos da Merenda

Empresa flagrada servindo comida podre para alunos das escolas públicas de Pernambuco promove assédio judicial contra Editora do blog da Noelia Brito na tentativa de intimidá-la e cessar denúncias do Blog contra malfeitos da empresa, também apontados pela Polícia Civil, pelo MPPE e pelo TCE/PE

Com Internacional lotado, petistas falam ao Blog com exclusividade sobre pré-candidatura de Marília Arraes. Para Ferro, o PT de verdade está com Marília Arraes, não é o PT que fica fazendo negociatas nos esgotos do Palácio