MPF em São Paulo vai apurar repasses do SUS para a Santa Casa


Hospital chegou a interromper o funcionamento do pronto-socorro por falta de suprimentos básicos
O Ministério Público Federal em São Paulo instaurou procedimento para investigar os repasses de verbas do Sistema Único de Saúde (SUS) para a Santa Casa de Misericórdia. O procedimento preparatório foi instaurado em razão das notícias de que o hospital chegou a interromper o atendimento de urgência e emergência em seu pronto-socorro em razão de alegada falta de dinheiro para a compra de medicamentos e materiais básicos como seringas e esparadrapos. 
 
Informações publicadas pela imprensa ao longo das últimas semanas relatam uma série de troca de acusações entre os governos federal e estadual acerca do valor a ser repassado pelo Ministério da Saúde à instituição por meio do governo do Estado de São Paulo. 
 
Instaurado na sexta-feira, 25 de julho, o procedimento preparatório do MPF está sob a responsabilidade do procurador da República Kleber Marcel Uemura. “Nossa primeira providência será oficiar a Santa Casa e o Ministério da Saúde para solicitar informações sobre esses repasses”, explica o procurador. “É preciso verificar o que de fato está acontecendo; essas informações são necessárias para que possamos definir nossos próximos passos”. 
 
A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo é uma instituição filantrópica e privada considerada um dos mais importantes Centros de Referência Hospitalar do Estado de São Paulo. Sobrevive à base de doações e também recebe recursos do SUS. A instituição é classificada como Hospital de Ensino, reconhecida nacionalmente pelo desenvolvimento de pesquisas técnico-científicas. 
 
 
Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República no Estado de S. Paulo
Informações à imprensa: Gabriela Rölke
11-3269-5068 (5368)
ascom@prsp.mpf.gov.br
www.twitter.com/mpf_sp

Comentários

MAIS ACESSADAS DO MÊS

Paulo Câmara "homenageia" Dia do Orgulho LGBT+ com ação policial truculenta em região boêmia do Recife historicamente ocupada por bares e boate LGBT+ e já tem um "Stonewall" pra chamar de seu

PT já teria até escolhido marqueteiro da campanha de Marília Arraes

Prefeito do Cabo, Lula Cabral, do PSB é denunciado pelo MPPE por "montar vasto esquema criminoso de fraudes em licitações" mediante comissão dirigida por "sua ex-namorada e sua cunhada"