PAULO CÂMARA INVADE CALÇADÃO DE BOA VIAGEM COM BANDEIRAS FIXAS E INTERNAUTAS SE REVOLTAM

ELEIÇÕES

O candidato da Frente Popular, Paulo Câmara, desde o primeiro dia em que foi liberada, pela legislação eleitoral, tem causado polêmica pela forma com que decidiu se fazer conhecido pelo povo pernambucano, em especial na capital, Recife.
Não se sabe se por considerar-se mais dotado de direitos que os demais postulantes, pelo fato de ser do mesmo Partido do governador do estado João Lyra e do prefeito do Recife, Geraldo Júlio, mas o fato é que o candidato do ex-governador Eduardo Campos decidiu, à revelia da legislação eleitoral, invadir a cidade com placas e bandeiras fixas, disputando com o próprio povo os espaços públicos que deveriam estar disponíveis para a população e não privatizados por candidatos, como é o caso, por exemplo, do calçadão da Avenida Boa Viagem, tomado por bandeiras de Paulo Câmara, sem que qualquer fiscalização, seja do TRE, seja da Prefeitura do Recife, tome qualquer providência.

A antipatia pelo tipo de campanha desrespeitosa e invasiva que o candidato da Frente Popular resolveu adotar, certamente mal orientado por seus marqueteiros, ansiosos por fazê-lo mais conhecido, já pode ser sentida pelos comentários negativos que proliferam nas Redes Sociais, contra a forma que o socialista vem conduzindo sua campanha, sem observar que os espaços públicos pertencem a todos os moradores da cidades e não apenas aos aliados do prefeito e do governador. A propaganda irregular já foi denunciada por nós ao TRE e aguardamos providências o mais rápido possível, para que a cidade não sela loteada também por candidatos, uma vez que boa parte já está entregue a construtoras.





Comentários

MAIS ACESSADAS DO MÊS

Paulo Câmara "homenageia" Dia do Orgulho LGBT+ com ação policial truculenta em região boêmia do Recife historicamente ocupada por bares e boate LGBT+ e já tem um "Stonewall" pra chamar de seu

PT já teria até escolhido marqueteiro da campanha de Marília Arraes

Prefeito do Cabo, Lula Cabral, do PSB é denunciado pelo MPPE por "montar vasto esquema criminoso de fraudes em licitações" mediante comissão dirigida por "sua ex-namorada e sua cunhada"