Blogueiro marido de vereadora tucana Aline Mariano teve pedido de prisão temporária requerido pela Polícia Federal no Inquérito 433/2007, por formação de quadrilha

O Inquérito 433/2007 da Polícia Federal impressiona pela quantidade de pessoas ligadas ao mundo político que aparecem citadas como envolvidas nas mais diversas práticas criminosas. Em um dos trechos dos grampos da Polícia Federal é possível identificar que um blogueiro bastante conhecido em Pernambuco, casado com uma vereadora do Recife, do mesmo partido de um dos chefes do esquema, o ex-vereador de Jaboatão dos Guararapes, Geraldo Cisneiros, chegou a ter pedido de prisão temporária requerido pelo delegado federal que presidia o inquérito, conforme atestam os documentos abaixo colacionados. Pela leitura da transcrições dos grampos, é possível perceber que a vereadora do PSDB tinha conhecimento dos fatos. O escandaloso caso de corrupção que vem à tona com as revelações do Inquérito 433/2007, já está sendo chamado de Mensalão Pernambucano, dada a continuidade das práticas criminosas por longos anos e o desvio de recursos públicos para financiamento de campanhas eleitorais e enriquecimento ilícito dos envolvidos:

"MAGNO MARTINS DA FONSECA
3.18.1. Das fundadas razões da participação do investigado em crime de quadrilha (art. 1º, III, I da Lei nº 7.960/89)

Bloguista político e colunista da FOLHA DE PERNAMBUCO, MAGNO MARTINS é beneficiado dos recursos públicos desviados por GERALDO, havendo uma espécie de "parceria" - como o próprio MAGNO frisa em um de seus diálogos - entre eles.

A "parceria" funciona da seguinte maneira: MAGNO MARTINS indica pessoas para ocupar cargos públicos em comissão controlados por GERALDO. Os salá´rios dessas pessaos são pagos pelos cofres públicos, mas elas não trabalham para o Município. Assim, utilizando-se da "estratégia" - bastante difundida Brasil afora - de nomear funcionários fantasmas para ocupar cargos públicos, GERALDO se beneficia de notícias jornalísticas a ele favoráveis e MAGNO MARTINS se beneficia dos serviços e favores das pessoas nomeadas.
(…)
Compõe o jornalista, portanto, a quadrilha chefiada por GERALDO CISNEIROS que se dedica a desviar recursos da Câmara com a estratégia de se nomear funcionários fantasmas…"















SAIBA MAIS:

http://noeliabritoblog.blogspot.com.br/2014/10/mensalao-pernambucano-romero-pontual-e.html

Comentários

  1. CRIMES "FINENCEIROS", MAR DE LAMA... TUDO ISSO CHEIRA MUITO MAUUU

    ResponderExcluir
  2. ISSO NÃO CHEIRA MAL, ISSO FEDE! POSAR DE VESTAL É UMA COISA; OUTRA COISA É POSAR DE VESTAL SEM CALCINHAS!

    ResponderExcluir
  3. Noelia, muito bom seu trabalho! Temos que divulgar já que a imprensa está fechada. Não há democracia sem imprensa livre!

    ResponderExcluir
  4. ''Crimes Finenceiros''? Tá certo isso corregedoria?

    ResponderExcluir
  5. Que tal encabeçarmos um pedido a Assembleia Legislativa para uma CPI no Mensalão Pernambucano???

    ResponderExcluir
  6. Pedir a quem ? O presidente da assembleia,dificilmente o faria!

    ResponderExcluir
  7. Pedir a quem ? O presidente da assembleia,dificilmente o faria!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MAIS VISITADAS DO MÊS

Preso por sonegaçãoe lavagem de dinheiro, DJ das celebridades protestava contra a corrupção e contra Dilma na Av. Boa Viagem

OPERAÇÃO MAR ABERTO: SOCIALITE PERNAMBUCANO PRESO NA OPERAÇÃO GASTOU QUASE R$ 3 MILHÕES COM CARTÕES DE CRÉDITO, REVELA DECISÃO QUE MANDOU PRENDÊ-LO. ESPOSA E DEMAIS PARENTES OSTENTAVAM GASTOS INCOMPATÍVEIS COM OS GANHOS DECLARADOS

Paulo Câmara tenta transferir ação de improbidade por ocultação de dados sobre repasses de recursos do SUS para Organizações Sociais à Justiça Estadual. MPF reage e aponta que Estado recebeu mais de R$ 9 bilhões da União para Saúde dos pernambucanos

MAR ABERTO: OPERAÇÃO DA DRACO E DA SEFAZ/PE PRENDE DJ DAS CELEBRIDADES RECIFENSES E O PAI, COMERCIANTE DE LANCHAS PARA RICAÇOS, POR SONEGAÇÃO, LAVAGEM DE DINHEIRO . MANDADOS FORAM AUTORIZADOS PELA JUÍZA ANA MOTA, DA VARA DOS CRIMES TRIBUTÁRIOS

Justiça manda suspender processo de cassação do Prefeito de Camaragibe