Genocídio da juventude negra será tema de Audiência Pública no MPPE




O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio da 8° promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania do Recife com atuação em Direitos Humanos, juntamente com o Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça Criminais e o Grupo de Trabalho de Enfrentamento ao Racismo (GT Racismo), convoca audiência pública para discutir o tema As barreiras de acesso à Justiça aos jovens negros em situação de violência, no dia 6 de maio. A iniciativa conta com a parceria dos GTs Racismo das Polícias Civil e Militar de Pernambuco. Todos estão convidados a participar.

A audiência ocorrerá no auditório do Ministério Público Federal, localizado na avenida Governador Agamenon Magalhães, 1800, Espinheiro. A coordenação da audiência será do promotor de Justiça Maxwell Vignoli (8ª Promotoria), que tem procedimentos em trâmites sobre o tema de ocorrências em duas comunidades. Para Maxwell Vignoli, as informações sobre a morte da juventude negra são transformadas em estatísticas para fundamentar muito mais uma avaliação de ocorrência da violência do que utilizadas na idealização de políticas públicas que visem garantir o direito dos jovens negros.

Na ocasião, serão discutidos o fortalecimento de mecanismos de controle externo da atividade policial, com foco na subnotificação de homicídios, especialmente nos casos de confronto com a força policial, a assistência jurídica para jovens negros em situação de violência, em cumprimento de medidas socioeducativas ou em regime prisional e a adoção de medidas, programas e políticas de enfrentamento e de superação das desigualdades decorrentes do preconceito e da discriminação étnico-racial.

A discussão que será promovida em Pernambuco é resultado da assinatura do Protocolo de Intenções para a Redução das Barreiras de Acesso à Justiça aos Jovens Negros em Situação de Violência pelo Conselho Nacional do Ministério Público, Conselho Nacional de Justiça, Ministério de Justiça, Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e Secretaria Nacional da Juventude, ambas da Secretaria Geral da Presidência da República, Conselho Federal da OAB e o Colégio Nacional de Defensores Públicos-Gerais, e publicada no Diário Oficial da União, em 24 de março de 2014. O Protocolo estabelece a organização de atividades conjuntas entre as instituições signatárias.

Consoante a isso, o Estado Brasileiro tem o compromisso de adotar políticas visando à eliminação da discriminação racial em todas as suas formas, e empreender medidas concretas para garantir o pleno exercício dos direitos humanos e das liberdades fundamentais, em condições de ampla igualdade, como signatário da Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial da Organização das Nações Unidas, e da Declaração de Durban, formulada na III Conferência Mundial de Combate ao Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância Correlata, realizada em 2001.

Para a audiência do dia 6 de maio, o MPPE convidou a Secretaria de Política de Promoção da Igualdade Racial do Governo Federal, Tribunal de Justiça de Pernambuco, Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Pernambuco, Defensoria Pública de Pernambuco e Procuradoria da República dos Direitos do Cidadão. Ainda, as Secretarias da Juventude, Defesa Social, Direitos Humanos do Estado e da Prefeitura do Recife, além da Comissão Estadual de Promoção da Igualdade Racial.

Também foram convidados pelo MPPE as lideranças do Movimento Social Negro, coordenadores dos NEABS - Núcleos de Estudos Afro-brasileiros das Universidades Federal, Rural e particulares, conselheiros de Direitos Humanos do Estado de Pernambuco e do Município de Recife.

* Com conteúdo da assessoria do MPPE

Comentários

MAIS ACESSADAS DO MÊS

Aos gritos de "tem roubo", alunos protestam contra a falta de Merenda durante visita de Paulo Câmara. Na Prefeitura do Recife, Geraldo Júlio é notificado pelo MPPE para explicar denúncias do SIMPERE sobre irregularidades em contratos da Merenda

Empresa flagrada servindo comida podre para alunos das escolas públicas de Pernambuco promove assédio judicial contra Editora do blog da Noelia Brito na tentativa de intimidá-la e cessar denúncias do Blog contra malfeitos da empresa, também apontados pela Polícia Civil, pelo MPPE e pelo TCE/PE

Com Internacional lotado, petistas falam ao Blog com exclusividade sobre pré-candidatura de Marília Arraes. Para Ferro, o PT de verdade está com Marília Arraes, não é o PT que fica fazendo negociatas nos esgotos do Palácio