Após golpe de parlamentares contra artistas populares, Comitê Ação da Cultura convoca sociedade para elaborar projeto de iniciativa popular sobre direito dos artistas nos espaços públicos


O Comitê Ação da Cultura, que se notabilizou pela defesa de manifestações populares como o carnaval popular de rua, sem camarotes, as sambadas de maracatu sem censura e que conseguiu do Ministério Público de Pernambuco, a expedição de recomendação inédita em defesa das tradições e do patrimônio cultural do povo pernambucano, convoca reunião pública com toda a sociedade civil de nosso Estado, em especial, com a classe artística, para a elaboração de um projeto de lei de iniciativa popular, que regulamente os direitos dos artistas nos espaços públicos.

A iniciativa é uma reação contra a Lei nº 15.516/2015, de iniciativa do deputado estadual Ricardo Costa, relatada com parecer favorável do deputado estadual Edilson Silva e sancionada sem vetos pelo governador Paulo Câmara.

Após a repercussão negativa da aprovação da Lei nº 15.516/2015, que cerceia direitos e coloca a arte popular na marginalidade em Pernambuco, os deputados responsáveis pela aprovação do nefando diploma legal, Ricardo Costa e Edilson Silva, lei, aliás, aprovada na calada da noite e sem qualquer oitiva da classe prejudicada ou da sociedade civil, pela unanimidade dos deputados da ALEPE, resolveram apresentar projetos para remendar o que deveria, simplesmente ser revogado.

Em discurso proferido no Plenário da Assembleia, o deputado Edilson Silva, que chegou a afirmar que teria assinado o relatório feito por um de seus assessores sem ler, não poupa elogios à lei que ele mesmo reconhece ser prejudicial aos artistas populares e assume que o projeto de emendas a alguns dispositivos da Lei nº 15.516/2015, por ele apresentado, depois da polêmica, mais uma vez sem ouvir ninguém, apenas remenda alguns dispositivos, fazendo-nos questionar se de fato um deputado com a larga experiência política do deputado Edilson Silva seria mesmo capaz de assinar um relatório tão lesivo a um dos seguimentos que mais o apoiaram em sua carreira política sem ler.

Por que o deputado Edilson Silva apresenta meros remendos, sem ouvir a sociedade civil que afirma representar de maneira diferenciada, em vez de apresentar um projeto que revogue totalmente aquela lei que ele mesmo reconhece danosa à classe artística e à cultura popular? Por que legitimar, por meio de meros remendos, um projeto de lei urdido em gabinetes sem ouvir a sociedade?


Por não haver justificativas para tais atitudes é que a sociedade civil, por intermédio do Comitê Ação da Cultura faz muitíssimo bem em se autoconvocar para produzir, ela mesma, um projeto de lei de iniciativa popular e que, de fato, contemple os anseios da sociedade e da classe artística.

Fala do deputado Edilson Silva na Alepe sobre o projeto de lei que ajudou a aprovar e que prejudica a Cultura Popular e seus artistas.
https://www.facebook.com/EdilsonSilvaPSOL/videos/1032147353504716/?pnref=story

Comentários

MAIS ACESSADAS DO MÊS

Aos gritos de "tem roubo", alunos protestam contra a falta de Merenda durante visita de Paulo Câmara. Na Prefeitura do Recife, Geraldo Júlio é notificado pelo MPPE para explicar denúncias do SIMPERE sobre irregularidades em contratos da Merenda

Empresa flagrada servindo comida podre para alunos das escolas públicas de Pernambuco promove assédio judicial contra Editora do blog da Noelia Brito na tentativa de intimidá-la e cessar denúncias do Blog contra malfeitos da empresa, também apontados pela Polícia Civil, pelo MPPE e pelo TCE/PE

Com Internacional lotado, petistas falam ao Blog com exclusividade sobre pré-candidatura de Marília Arraes. Para Ferro, o PT de verdade está com Marília Arraes, não é o PT que fica fazendo negociatas nos esgotos do Palácio