Após uma passeata que percorreu principais avenidas do centro do Recife, dirigentes do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco) foram recebidos pelo presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, desembargador Frederico Ricardo de Almeida Neves, na tarde desta quarta-feira (15). O presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros, questionou a ação do TJPE que bloqueou R$90 mil da conta do sindicato.
“Estamos aqui para pedir a reconsideração, porque tem um problema no Sinpol. Um problema administrativo. São R$90 mil que foram bloqueados e nós temos uma clinica lá, principalmente para os aposentados. Nós temos a base de seis médicos que atendem basicamente os aposentados, temos cerca de três dentistas, tem o nosso pessoal de apoio, os auxiliares administrativos, e tem a questão dos advogados. Estão tudo sem receber devido a esse bloqueio do dinheiro do Sinpol”. Declarou o presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros.
- 5D_01.Quadro104
O desembargador ouviu atentamente as reivindicações e aconselhou o sindicato a entrar com uma ação colocando seus argumentos contrários ao bloqueio. “O desembargador prometeu analisar o processo que vamos protocolar pedindo o desbloqueio do dinheiro do sindicato”, disse Áureo.
Um dossiê da Operação Polícia Civil Cidadã foi entregue ao presidente do TJPE. O documento mostra um mapeamento da precária situação das condições de trabalho em 36 locais de trabalho dos policiais, entre delegacias, seccionais e institutos do Estado.
PASSEATA – Logo pela manhã, antes da reunião no TJPE, o Sinpol havia realizado outra grande passeata na categoria pelas ruas do Recife. Desta vez o movimento recebeu um forte apoio de dirigentes de sindicatos de todo o Brasil como os membros da Cobrapol (Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis), membros da Feipol (Federação Interestadual dos Policiais Civis) e dos sindicatos dos policiais civis de outros estados da região Nordeste como: Sinpol Sergipe, Ceará, Bahia, Alagoas e Rio Grande do Norte.
Com início na Praça do Derby, a passeata cruzou a Avenida Agamenon Magalhães, seguindo pela Avenida Conde da Boa Vista. Centenas de policiais civis, demonstrando toda sua indignação com o Governo de Pernambuco, seguiram até a frente da Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social (SDS) para realizar os primeiros discursos de protesto contra as ações de repressão à livre atividade sindical. O ato seguiu pela Rua da Aurora em direção ao Palácio do Campo das Princesas e terminou com toda força em frente ao Tribunal de Justiça de Pernambuco, onde a comissão do Sinpol foi recebida.