FARMACÊUTICOS DENUNCIAM FALTA DE MEDICAMENTOS NA REDE MUNICIPAL DO RECIFE E CONTRATO DA PCR COM INVESTIGADO PELA POLÍCIA FEDERAL NO MENSALÃO PERNAMBUCANO


Em carta aberta à população, os Farmacêuticos da Prefeitura do Recife, juntamente com o Sindicato dos Farmacêuticos de Pernambuco e o Conselho Regional de Farmácia de Pernambuco/CRF-PE denunciam que desde que a gestão Geraldo Júlio, do PSB assinou contrato com a Saudelog/Ceasa, contrato assinado ainda sob a presidência de Romero Pontual, o principal personagem do escândalo de corrupção denunciado aqui mesmo em nosso Blog sob o nome de "Mensalão Pernambucano", usuários da Rede Municipal de Saúde da Capital deixaram de receber a maioria dos medicamentos necessários a seus tratamentos, gerando descontinuidade, ao mesmo tempo em que os gastos da Prefeitura com medicamentos só aumentaram.

De acordo com a denúncia dos Farmacêuticos, doencas psiquiátricas, tuberculose, hanseníase e atá AIDS estariam entra as que foram objeto da mencionada descontinuidade, causando graves consequências aos pacientes e, repita-se, tudo apesar do aumento significativo dos gastos.

Conforme comprova o contrato de gestão a que o Blog teve acesso mediante Pedido de Informações pela LAI, a informação dada na Carta dos Farmacêuticos de que a CEASA, que sempre esteve sob o comando do Sr. Romero Pontual,  recebeu da Prefeitura do Recife, só para logística de medicamentos, da Secretaria de Saúde, mais de R$ 7 milhões se confirma. Acesse aqui:





SAIBA MAIS SOBRE O MENSALÃO PERNAMBUCANO

LEIA TODAS DENÚNCIAS DE NOELIA BRITO ACERCA DO MENSALÃO DO PSB E PSDB EM PERNAMBUCO

http://www.blogdodanieldantas.com.br/2014/10/leia-todas-denuncias-de-noelia-brito.html

Comentários

MAIS ACESSADAS DO MÊS

Paulo Câmara "homenageia" Dia do Orgulho LGBT+ com ação policial truculenta em região boêmia do Recife historicamente ocupada por bares e boate LGBT+ e já tem um "Stonewall" pra chamar de seu

PT já teria até escolhido marqueteiro da campanha de Marília Arraes

Prefeito do Cabo, Lula Cabral, do PSB é denunciado pelo MPPE por "montar vasto esquema criminoso de fraudes em licitações" mediante comissão dirigida por "sua ex-namorada e sua cunhada"