Notícias




segunda-feira, 18 de abril de 2016

LÍDER DO GOVERNO JARBAS, BRUNO ARAÚJO INTERFERIU PARA TRANSFERIR DELEGADO QUE INVESTIGAVA CORRUPTOS ALIADOS


Matéria publicada pelo Jornal do Commercio, em 25/05/2005, do repórter João Valadares, hoje no Correio Braziliense, revela que o deputado federal que deu o voto 342, a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, o pernambucano Bruno Araújo, do PSDB, foi flagrado em interceptações telefônicas realizadas pela Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, com autorização da Justiça, interferindo, a pedido do ex-prefeito de Sanharó, Ranieri Aquino de Freitas, do PMDB, para afastar o delegado José Silvestre, que, na época, investigava um esquema de desvio de verbas públicas, leilões fraudulentos, além de apropriação de documentos municipais e adulteração de folhas de processo judicial. O secretário de Defesa Social de Jarbas Vasconcelos, na época, era o atual secretário de Mobilidade Urbana do prefeito Geraldo Júlio (PSB), João Braga, que tinha à frente da Chefia de Polícia, o ex-delegado Aníbal Moura, expulso da Polícia Civil por "valer-se do cargo para lograr proveito pessoal em detrimento da dignidade da função policial, bem como praticar ato que importe em escândalo ou que concorra para comprometer a dignidade da função policial, e participar de gerência ou administração de empresas, qualquer que seja a sua natureza”, por intermédio do procedimento administrativo disciplinar especial número 10.107.1020.00019, de 2010, instaurado pela Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social (SDS). Leiam a matéria na íntegra:


EDIÇÃO DE QUARTA, 25 DE MAIO DE 2005
Política - 25/05/2005

DEPUTADO ENVOLVIDO EM TRÁFICO DE INFLUÊNCIA
CASO SANHARÓ Interceptações de conversas telefônicas, feitas pela SDS com a autorização da Justiça, revelam que o ex-prefeito de Sanharó Ranieri Aquino de Freitas pediu a ajuda do líder do governo na Assembléia para transferir o delegado, que "vinha pintando miséria" na cidade. O policial foi transferido
JOÃO VALADARES
O esquema de desvio de verbas públicas, leilões fraudulentos, adulteração de folhas de processo judicial e apropriação de documentos municipais na gestão passada da Prefeitura de Sanharó - que começou a ser desarticulado na semana passada com a prisão de quatro pessoas - esconde, ainda, uma rede de tráfico de influências que envolve o ex-prefeito do município Ranieri Aquino de Freitas (PMDB), o líder do governo Jarbas na Assembléia Legislativa, deputado estadual Bruno Araújo (PSDB), e alguns assessores parlamentares. Em uma série de interceptações telefônicas, realizadas pela Secretaria de Defesa Social (SDS) com autorização da Justiça, nos meses de fevereiro e março, Ranieri tenta a todo custo impedir as investigações e chega até a colocar um espião na Delegacia de Sanharó para repassar detalhes do trabalho policial.

Em conversas com o deputado Bruno Araújo, Ranieri faz pressão para que o então delegado de Sanharó, José Silvestre, seja afastado da cidade. No auge das investigações, Silvestre foi transferido de Sanharó para Santa Cruz do Capibaribe (ver quadro com a portaria publicada no Diário Oficial). O inquérito ainda não foi concluído.

Numa conversa gravada um dia antes de o delegado de Sanharó ser transferido, Ranieri pergunta a Bruno Araújo se o delegado já havia sido removido para outra cidade. O deputado diz que já havia tratado do assunto e avisa que a portaria de transferência sairá em breve. Ao ser informado pelo ex-prefeito de que o delegado "estava pintando miséria", o parlamentar o tranqüiliza. "A gente vai ter que agüentar esse rojão (investigações) até está publicado isso viu? Eles garantiram que até sexta-feira, o decreto (transferência) está publicado. Mas amanhã você leva uma cópia da portaria", afirma o deputado.

Araújo ainda justifica a demora na transferência do delegado. "Ô Bruno, a portaria não saiu hoje não do delegado", queixa-se Ranieri. "Rapaz, não saiu, mas eu acabei de tratar antes de ligar para você. Amanhã você está levando uma cópia da portaria está certo? Você sabe que houve uma lei de irremobilidade de delegados de flexibilização (sic). Está sendo publicado um decreto do governador flexibilizando essas imobilidades para poder ser publicado uma série de nove portarias de remoção, entre elas a de Sanharó", justifica-se.

Em outra ligação, dessa vez com um assessor de Bruno Araújo, identificado apenas como João, o ex-prefeito comemora aliviado a transferência do delegado. "Saiu? Ô meu Deus. Graças a Deus", diz. Em outro trecho, o mesmo João afirma que Araújo pediu para que ele acompanhasse todo o desenrolar do processo. "O negócio do delegado lá de Sanharó, tu não sabe dizer não?", pergunta Ranieri. "Hoje não foi publicado não. Agora Bruno pediu para acompanhar, que está pra sair o de Sanharó e o de Sairé, aí fica olhando, fica olhando todo o dia, tá certo?" Em seguida, o ex-prefeito afirma que vai dar uma pressão em Bruno. "Já era para ter saído, mas amanhã a gente vai dar uma pressão em Bruno para ligar para saber, tá jóia?"
Em outros trechos das interceptações telefônicas, o ex-prefeito de Sanharó liga para um orelhão ao lado da delegacia e manda chamar um servidor municipal que se encontra à disposição do delegado. Em várias ligações, o prefeito quer informações sobre quem está sendo ouvido no gabinete do delegado. "Diga meu patrão!", fala o servidor.

3 comentários:

  1. Você é uma mulher valente e de fibra. Parabéns pela luta. E aquelas operações contra os governos de Eduardo Campos, vão dormitar pelo resto da vida?

    ResponderExcluir
  2. Você é uma mulher valente e de fibra. Parabéns pela luta. E aquelas operações contra os governos de Eduardo Campos, vão dormitar pelo resto da vida?

    ResponderExcluir
  3. Justiça só para POBRE - PRETO - PETISTA - PUT_ de POBRE.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.

Siga o Blog por Email

Twitter Updates 2.2: FeedWitter

Seguidores

Vídeos

BoxVideos1

BoxVideos2

Noelia Brito © 2016 Todos os direitos reservados.