Notícias




domingo, 26 de junho de 2016

"CUSTO PERNAMBUCO": GESTÃO DO PSB, DE PERNAMBUCO, TAMBÉM PAGOU MILHÕES PARA CONSIST GERENCIAR FOLHA

Foto: "O Globo"

A Operação Custo Brasil, desdobramento da Lava Jato, que prendeu o ex-ministro Paulo Bernardo, nesta quinta-feira (23), revelou um esquema de corrupção, na contratação da empresa Consist Software Ltda, entre os anos de 2009 e 2010, pelo governo federal, para gerenciar empréstimos consignados, em Folha de Pagamento, de servidores públicos. O esquema teria movimentado cerca de R$ 100 milhões e consistiria no pagamento de R$ 1 à Consist, para cada parcela cobrada dos servidores. A conta da propina era paga pelos servidores, mediante o mencionado desconto. A empresa teria ficado com 30% do desvio e outros 70% seriam repassados a envolvidos indicados por João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, como propina.

Em Pernambuco, três empresários ligados à empresa CONSUCRED, empresa situada na Av. Agamenon Magalhães, nº 2656, na Ilha do Leite, no Recife, foram alvo de mandados de prisão preventiva e Busca e Apreensão, por terem participação ativa no esquema criminoso, mas, estranhamente, nenhum órgão da imprensa local questionou o porquê, o como, o quando e o onde Pernambuco entraria em esquema aparentemente limitado ao governo federal e a figuras de destaque da cena política nacional e da advocacia eleitoral, oriundos de Estados como São Paulo,  Paraná e Rio Grande do Sul.

Durante as buscas e apreensões da Operação "Pixuleco II", o contrato de prestação de serviços firmado entre a Consist, a empresa pernambucana, CONSUCRED e o escritório de advocacia Oliveira Romano, este responsável, segundo a Polícia Federal, por emitir notas "frias" para lavar a propina arrecadada com o esquema:
Contrato apreendido pela PF na Operação "Pixuleco II"



Com base na documentação apreendida na "Pixuleco II", foi possívem aos investigadores da Lava Jato constatarem que a empresa CONSIST SOFTWARE LTDA., utilizava a Razão Social SWR INFORMÁTICA LTDA. para firmar contratos e até fazer doações eleitorais, para o propinoduto criado pelo esquema desbatarado pela Operação "Custo Brasil".
Pedido de Prisão Preventiva e Busca e Apreensão
Distribuição por dependência ao EPROC 50495571420134047000    

(ACESSE A ÍNTEGRA DO DOCUMENTO AQUI)


O que a imprensa local não teve, ainda, interesse em divulgar foi que o Governo de Pernambuco, durante a gestão de Eduardo Campos, do PSB, contratou, sem licitação, à mesma CONSIST SOFTWARE LTDA., só que sob o CNPJ 01.596.922/0001-76 e razão social, SWR INFORMATICA LTDA, para gerir, entre os anos de 2010 e 2012, ao custo de R$ 2.379.718,00, a Folha de Pagamento dos servidores estaduais. A contratação se deu por intermédio da Secretaria de Administração (Processo nº 044.2009.III.IN.0009.SAD-CCPLE III). 

Abaixo os empenhos que comprovam os pagamentos milionários feitos pelo governo de Pernambuco à mesma empresa ora investigada pela Polícia Federal, na Operação "Custo Brasil":

2010


2011


2012


2013
TOTAL: R$ 2.379.718,00

SAIBA MAIS:

http://jornalggn.com.br/noticia/os-contratos-milionarios-sem-licitacao-da-consist-com-gestoes-tucanas

http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/de-real-em-real-milhares-de-servidores-bancaram-propinas-a-grupo-de-paulo-bernardo-diz-receita/

6 comentários:

  1. Jeitinho PSB de Governar em Pernambuco!

    ResponderExcluir
  2. É possível o ressarcimento desses valores aos servidores?

    ResponderExcluir
  3. Parabens Noelia.Ate onde irá o silêncio da imprensa de PE? Onde esta nosso jornalismo investigativo?

    ResponderExcluir
  4. Parabens Noelia.Ate onde irá o silêncio da imprensa de PE? Onde esta nosso jornalismo investigativo?

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.

Siga o Blog por Email

Twitter Updates 2.2: FeedWitter

Seguidores

Vídeos

BoxVideos1

BoxVideos2

Noelia Brito © 2016 Todos os direitos reservados.