Notícias




sábado, 15 de outubro de 2016

ALVO DE OPERAÇÕES DA PF, GOVERNO DE PERNAMBUCO TEM QUATRO DELEGADOS FEDERAIS A SUA DISPOSIÇÃO

Alessandro Carvalho saiu para entrada de Gioia, ambos da Polícia Federal
Fontes ouvidas pelo Blog revelam o desconforto de policiais federais da ativa, com o fato de que nada menos que quatro delegados da Polícia Federal estejam à disposição do governo do Estado de Pernambuco, exercendo cargos de confiança, com subordinação direta ao governador Paulo Câmara.

É que causou mal estar na corporação, o fato de advogados ligados ao governo e a próceres do PSB, partido do governador e ainda à empreiteira Odebrecht, que tem cerca de cem executivos negociando delação premiada com o Ministério Público Federal, na “Lava Jato”, terem tentado desmoralizar a Polícia Federal, retirando, de sua competência, as investigações da chamada Operação "Fair Play", que investiga fraudes e superfaturamento na licitação e no contrato da Arena Pernambuco (LEIA AQUI).

Para quem não sabe, após a exoneração do Secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, que é Delegado da Polícia Federal, este, em vez de retornar às suas funções no Departamento de Polícia Federal, foi deslocado para a Assessoria Especial do Governador Paulo Câmara, sendo substituído, no commando da SDS, por outro policial federal, o também delegado Angelo Gioia, que trouxe mais dois outros delegados da Polícia Federal para assessorá-lo (Leia AQUI).

Geraldo Júlio, o "Neto"
As Planilhas contendo os nomes de 200 políticos que teriam recebido dinheiro da Odebrecht e que foi apreendida durante a 26ª Fase da Operação Lava-Jato, inclui, o atual prefeito da capital pernambucana, Geraldo Júlio, que é apontado na lista da Odebrecht como beneficiário de R$ 3 milhões. Geraldo Júlio era chamado pelo codinome de "Neto", enquanto o senador Fernando Bezerra Coelho
FBC, o "Charada"
, também apontado na Lista da Odebrecht, teria sido favorecido, com o valor de R$ 500 mil e era o "Charada". Já o ex-prefeito de São Lourenço da Mata, Ettore Labanca, que comanda a Agência Reguladora de Pernambuco e que segundo a Planilha da Odebrecht, fora agraciado com R$ 200 mil pela empreiteira, atendia pela alcunha de
Ettore Labanca, o "Cacique"
"Cacique". Vejam a lista de doações da Odebrecht para o PSB que totaliza R$ 9 milhões:

    Fonte: AQUI

Consulta à Prestação de Contas do então candidato Geraldo Júlio ao TSE, entretanto, não aponta qualquer registro de doação da Odebrecht para sua campanha para Prefeito nas Eleições de 2012, para a qual foram apontados gastos da ordem de R$ 7.184.213,62. Acaso a suposta doação feita para a campanha de Geraldo Júlio, pela Odebrecht, estivesse devidamente registrada em sua prestação de contas à Justiça Eleitoral, corresponderia a quase 50% de sua receita de campanha.

 Fonte: AQUI 


Não é à toa, portanto, que integrantes da Polícia Federal se sintam constrangidos com o fato de que membros graduados de sua corporação aceitem cargos comissionados e de subordinação em governos investigados pela própria entidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

Siga o Blog por Email

Twitter Updates 2.2: FeedWitter

Seguidores

Vídeos

BoxVideos1

BoxVideos2

Noelia Brito © 2016 Todos os direitos reservados.