PSB E RÉUS DA TURBULÊNCIA SÃO CONDENADOS A INDENIZAR FAMÍLIA DO PILOTO DO JATINHO


Uma decisão da Justiça do Trabalho de São Paulo acaba de condenar o Partido Socialista Brasileiro (PSB) e os empresários João Carlos Lyra e Apolo Santana Vieira, juntamente com a construtora AF Andrade, a pagarem débitos trabalhistas, mais indenizações por danos morais e materiais, à família do piloto Marcos Martins, que comandava o jato Cessna, em que morreu o ex-candidato à Presidência Eduardo Campos em 13 de agosto de 2014.

Tanto João Carlos Lyra, quanto Apolo Santana são réus no processo criminal que teve origem na chamada Operação Turbulência, que investigou uma Organização Criminosa acusada de lavar mais de R$ 600 milhões de recursos frutos de propinas e superfaturamentos de obras e contratos públicos em Pernambuco e que teriam sido decorrentes de crimes de corrupção praticados por agentes públicos e politicos ligados ao PSB de Pernambuco juntamente com empreiteiras.


A decisão que responsabilizou o PSB e os réus da Turbulência pela indenização trabalhista foi do Juiz do Trabalho Samuel Batista de Sá, da 45ª Vara do Trabalho do TRT de São Paulo.

Segundo o juiz, o PSB tinha plena consciência do contrato e era o responsável pela agenda do então candidato e das presses exercidas sobre o piloto para o cumprimento dessa agenda. A indenização total, incluindo os danos morais, deve ficar em torno de R$ 2 milhões. Saiba mais AQUI.

Comentários

  1. É isso mesmo. Processo Trabalhista, executa-se rapidamente. Réus proprietarios e administradores do avião acidentado. Abriu-se um largo caminho de indenizações.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MAIS ACESSADAS DO MÊS

Paulo Câmara "homenageia" Dia do Orgulho LGBT+ com ação policial truculenta em região boêmia do Recife historicamente ocupada por bares e boate LGBT+ e já tem um "Stonewall" pra chamar de seu

PT já teria até escolhido marqueteiro da campanha de Marília Arraes

Prefeito do Cabo, Lula Cabral, do PSB é denunciado pelo MPPE por "montar vasto esquema criminoso de fraudes em licitações" mediante comissão dirigida por "sua ex-namorada e sua cunhada"