EM BELO JARDIM, DEMISSÕES E ATRASOS DE SALÁRIOS GERAM CAOS NA SAÚDE E GESTÃO AINDA CULPA MÉDICOS


Chegou ao Blog denúncia de que a Secretaria de Saúde de Belo Jardim, apesar de contar apenas com três médicos plantonistas no Hospital Júlio Alves de Lira, naquela cidade, achou por bem demitir um de seus médicos para, em seu lugar destacar uma enfermeira obstetra, para tirar os plantões, pagando a esta, um salário de R$ 3,8 mil por mês.

A denúncia, ainda dá conta de que os médicos recebem seus pagamentos em atraso, o que somente viria a ocorrer, a partir do dia 15 de cada mês e que tal fato teria tido início a partir da gestão de Sílvia Renata. 

Segundo a denúncia, a Folha de Pagamento estaria fechada para pagar os dias compreendidos entre 15 de outubro e 15 de novembro e esse pagamento só seria feito no dia 22 de dezembro, não havendo qualquer previsão de pagamento para os plantões que foram prestados a partir do dia 15 de novembro.

Além do médico plantonista que foi demitido do Hospital Júlio Alves de Lira e que estaria sendo substituído por uma enfermeira, todos os médicos e enfermeiros dos PSF também teriam sido demitidos.

A prefeitura alega que os profissionais querem receber antecipado, porém, esse argumento não procede, uma vez que já estamos no dia 13 de dezembro e não se pode considerar plantões feitos em novembro, por exemplo e cujo pagamento ainda não foi realizado como "pretensão a pagamentos antecipados".



Comentários

MAIS ACESSADAS DO MÊS

Paulo Câmara "homenageia" Dia do Orgulho LGBT+ com ação policial truculenta em região boêmia do Recife historicamente ocupada por bares e boate LGBT+ e já tem um "Stonewall" pra chamar de seu

PT já teria até escolhido marqueteiro da campanha de Marília Arraes

Prefeito do Cabo, Lula Cabral, do PSB é denunciado pelo MPPE por "montar vasto esquema criminoso de fraudes em licitações" mediante comissão dirigida por "sua ex-namorada e sua cunhada"