Notícias




sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

ODEBRECHT TERIA PAGO PROPINA A POLÍTICOS ATRAVÉS DE OBRA DA FÁBRICA DA ITAIPAVA EM ITAPISSUMA


Inauguração da Fábrica da Itaipava, em Itapissuma
Matéria da IstoÉ "OnLine", publicada há pouco revela que o grupo Petrópolis, dono da marca Itaipava e comandado pelo empresário Walter Faria seria uma espécie de intermediário da Odebrecht, para pagamento de propina a políticos.

Segundo a reportagem, planilhas apreendidas com  Benedicto Barbosa Junior, o “BJ”, e que seria um dos elos com Walter Faria apontaram os pagamentos a políticos que teriam sido feitos por intermédio do grupo Petrópolis. Em uma delas, ao lado do nome do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), por exemplo, aparece a palavra manuscrita: “Itaipava”. No fim da linha, o valor total: “1.000”. Na campanha de 2014, vencida por Pezão, a Petrópolis doou R$ 6,6 milhões ao comitê financeiro único da campanha do PMDB ao governo do Rio, além de outros R$ 4 milhões à direção estadual do PMDB do Rio.

A Itaipava se soma a uma sofisticada engenharia financeira montada pela Odebrecht para o pagamento de propina.  Também ocorriam transferências bancárias no exterior, em operações de lavagem de dinheiro, e o uso de empresas intermediárias, como era o caso do grupo de Walter Faria, segundo os relatos da delação dos executivos da Odebrecht.

Os detalhes da delação que serão fornecidos nos próximos dias serão essenciais para explicar como o dinheiro da Odebrecht chegava até o grupo Petrópolis, para que daí fosse redistribuído aos políticos. 

De acordo com os delatores, pelo menos três fábricas da Petrópolis estariam sob suspeição, todas feitas pela Odebrecht: as da Bahia, Mato Grosso e Pernambuco. 

Os depoimentos deixam claro que as obras seriam moeda de troca para o pagamento de propina a políticos. Em vez de cobrar o custo real da obra, a Odebrecht pediria que o grupo Petrópolis repassasse propina e abateria os pagamentos do valor da obra.

A delação premiada do administrador Vinicius Borin, responsável por abrir contas secretas para a Odebrecht no exterior entregou todo o esquema. De acordo com IstoÉ, Borin contou que um dos herdeiros do grupo Petrópolis, Vanuê Faria, foi sócio da Odebrecht na compra de um banco no Caribe para movimentar propina. Vanuê é sobrinho de Walter Faria e entrou com um terço da participação na filial do Meinl Bank, em Antígua, de acordo com o relato do delator. Também há suspeitas de que uma conta na Suíça de Walter Faria tenha recebido transferências do lobista Júlio Camargo, que atuava na Petrobras.

O dono da cervejaria foi agraciado com empréstimo milionário do Banco do Nordeste para construir uma das fábricas no Nordeste.

O anúncio da vinda da Cervejaria Petrópolis se para o Município de Itapissuma, onde já existia uma Fábrica da concorrente AMBEV, foi feita em 2012, pelo então governador Eduardo Campos, com a assinatura do protocolo de intenções no Centro de Convenções de Pernambuco, com a presença do presidente do Grupo Petrópolis, Walter Faria e o anúncio de um investimento de R$ 600 milhões.

O terreno para a implantação da Fábrica da Itaipava, ainda em 2012, foi doado pelo Governo de Pernambuco, em uma operação comandada pela Procuradoria Geral do Estado, que cuidou da desapropriação de 17 hectares para integrar o bloco de 40 hectares da unidade de produção. Os outros 23 hectares restantes teriam sido negociados  pelo Grupo Petrópolis diretamente com a Usina São José, proprietária do terreno.

As despesas com os trâmites de liberação da área teriam sido pagos pela Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (AD Diper).

Um comentário:

  1. A oposição RAIVOSA não dá trégua. De cara já arruma uma foto do ex-presidente para colocar no IMBRÓGLIO, só o que ela não diz é que todo grande empreendimento que vai gerar emprego e é financiado por Bancos Federais de Fomento, contam com a ppresença do Presidente da República na inauguração.
    Mas esquecendo esse "detalhe" maldoso o que chama a atenção é uma forte presença na lista dos que se beneficiaram desse empreendimento e de outros da ODEBRECHT de antigos opositores, aqueles que DERAM O GOLPE DE ESTADO para assumir o controle do país em causa própria.
    Agora entendo por exemplo, porque RENAN CALHEIROS recebia uma GORDA MESADA justamente de uma CERVEJARIA. Ta na cara que a tal CERVEJARIA é na verdade uma GIGANTESCA LARANJA.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.

Siga o Blog por Email

Twitter Updates 2.2: FeedWitter

Seguidores

Vídeos

BoxVideos1

BoxVideos2

Noelia Brito © 2016 Todos os direitos reservados.