Notícias




domingo, 25 de dezembro de 2016

PAULO CÂMARA DEVE R$ 23 MILHÕES A ENTIDADE REFERENCIADA PELO MPPE NO ATENDIMENTO DE CRIANÇAS COM MICROCEFALIA

Foto: Marlon Costa/Futura Press/Estadão Conteúdo
Mães acompanham bebês com microcefalia que receberam novos óculos no Recife

Ao mesmo tempo em que publica decretos dando benefícios fiscais  milionários para empresas cujos sócios são frequentemente alvos de Operações da Polícia Federal (Leia AQUI), o govenador de Pernambuco, Paulo Câmara, não tem o menor pudor em atrasar os pagamentos a entidades como a Fundação Altino Ventura, que o próprio Ministério Público de Pernambuco aponta como referência no tratamento de crianças com Microcefalia, condição neurológica rara em que a cabeça e o cérebro da criança são significativamente menores do que os de outras da mesma idade e sexo. Pernambuco tem chamado a atenção das autoridades sanitárias e da mídia internacional justamente em razão do aumento exponencial da microcefalia em crianças nascidas no Estados, nos últimos dois anos, em razão de suspeitas de que o aumento dessa incidência teria correlação com as chamadas arboviroses, mais especificamente com a Zyka, transmitidas, pelo mosquito Aedes Aegypt, sob a forma de epidemia que se alastrou no país e fortemente em Pernambuco, em razão da deficiente política de combate à proliferação do mosquito transmissor, pelas autoridades públicas locais.

Crianças com microcefalia têm problemas de desenvolvimento. Não há uma cura definitiva para a microcefalia, mas tratamentos realizados desde os primeiros anos melhoram o desenvolvimento e qualidade de vida. Causa indignação a informação que chega ao Blog de que uma entidade que, segundo matéria veiculada no Programa "MPPE EM FOCO - MPPE ACOMPANHA FAMÍLIAS DOS BEBÊS COM MICROCEFALIA" (Acesse AQUI), é responsável pelo atendimento de grande parte das mais de mil  e quinhentas crianças nascidas com microcefalia em Pernambuco durante o surto de arboviroses antes mencionado.




O Blog "De Olho nas Licitações no Nordeste" denunciou, recentemente, que em razão da inadimplência do Governo de Pernambuco com a Fundação Altino Ventura. vários colaboradores estariam em vias de serem demitidos. Segundo nosso Blog apurou, esse número poderia chegar a cem demissões.


Depoimentos não faltam dando conta da excelência e da importância do trabalho desenvolvido pela Fundação, na melhoria da qualidade de vida das crianças com microcefalia, mas, pelo visto, nada disso interessa ao governador Paulo Câmara, que gasta milhões com assinaturas de jornais (Leia AQUI), mas não paga o que deve à Fundação Altino Ventura, cujos diretores sequer são recebidos pelo governador, que tem se mostrado um mau pagador quando o credor é alguma entidade que presta serviço relevante para a população.

Veja o depoimento da avó de uma das crianças assistidas pelo Altino Ventura:

Fonte: Blog de Olho nas Licitações do Nordeste
O governo Paulo Câmara só tem tempo para empresários ávidos por benesses fiscais e por doações de terrenos públicos para instalação de seus ricos negócios. Para esses sempre há horários nas agendas das mais altas patentes do Palácio do Campo das Princesas.

Recentemente, tanto o governador, quanto o chamado "alto clero" de seu governo, receberam com pompa e circunstância, o presidente do Aché Laboratórios, para a assinatura de um protocolo de intenções, pelo qual a empresa se compromete a instalar uma fábrica de medicamentos e uma central de distribuição de remédios em SUAPE e, em troca, entre outras gentilezas, o governador promete lhe vender uma área de nada menos que 250 mil m2, com desconto camarada de até 70% (Leia AQUI e AQUI) do valor de mercado do imóvel público. A ideia dessa lei, que foi enviada à ALEPE no começo do mês de novembro, foi do ex-secretário de Desenvolvimento Econômico e ex-superintendente de SUAPE, Thiago Norões, o mesmo das doações de terrenos para o CONE SUAPE, da Moura Dubeux, dentre outras (Leia AQUI):



Matéria publicada pelo Portal NE10, em 03/11/2016, mostrou um pouco do trabalho da Fundação com relação às crianças com microcefalia. Naquele dia, 55 bebês receberam, da Fundação, óculos de um projeto de reabilitação visual para recém-nascidos com danos neurológicos. Segundo a reportagem, as crianças apresentam miopia, estrabismo e hipermetropia relacionadas à contaminação da mãe, pelo Zyka, durante a gestação.

Foto: Marlon Costa/Futura Press/Estadão Conteúdo

Ouvida pelo NE10, a presidente da fundação, Liana Ventura,  informou que os óculos possibilitam muitos ganhos ao tratamento dos bebês: "Não adianta só diagnosticar. Para o tratamento ter mais efetividade, as crianças precisam de um óculos para bebê, com armação flexível, com grau apropriado para a visão da criança para que ela possa responder melhor àquilo que ela for estimulada nas terapias". (Leia matéria completa AQUI)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

Siga o Blog por Email

Twitter Updates 2.2: FeedWitter

Seguidores

Vídeos

BoxVideos1

BoxVideos2

Noelia Brito © 2016 Todos os direitos reservados.