TODO APOIO AOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO E DO JUDICIÁRIO QUE COMBATEM A CORRUPÇÃO




Por Noelia Brito, editora do Blog

Eu, mais do que ninguém, tenho sido vítima de promotores, juízes e desembargadores corruptos, que têm me prejudicado para atender a interesses pessoais próprios ou de advogados de integrantes dessa ORCRIM do PSB que tanto combato. Se eu fosse como uns e outros defenderia com unhas e dentes esse projeto que os corruptos estão aprovando para perseguir o Ministério Público e o Judiciário, afinal, membros dessas instituições têm me prejudicado e beneficiado meus inimigos, que sei não valerem nada, que sei corruptos. Acontece que eu sei também que esse projeto não está aí para combater a atuação da banda podre do Ministério Público e do Judiciário, a banda podre que anda aninhada com corruptos. Esse projeto, da forma que foi aprovado pela Câmara dos despudorados Deputados está aí para chantagear e achacar justamente aqueles promotores, procuradores e magistrados que fazem seu trabalho, apesar dessa banda podre a que me referi. São as pessoas sérias e combativas do Ministério Público e do Judiciário que ainda me dão esperança pra continuar na luta. Por que então eu me aliaria com os corruptos que eu combati durante toda a minha vida para destruir com o que ainda resta de decência neste país? Eu e meu Blog apoiamos o Ministério Público e o Judiciário contra a tentativa dos políticos corruptos e da banda podre dessas instituições, representada por figuras como Gilmar Mendes, de continuar fazendo do Brasil, o maior prostíbulo de corrupção da face da Terra. 

Aqui não se dará apoio a safados, nem a safadezas. Quem quiser anistia pra corruptos ou perseguição a pessoas honradas, pode procurar outra freguesia e vou logo avisando que esses ladrões que roubaram nas prefeituras por onde passaram terão lugar privilegiado no meu Blog, na proporção em que militantes de seus partidos tiverem o descaramento de me desrespeitar. Ladrão bom é ladrão mudo, exceto se for pra delatar o comparsa.

Impressiona-me, sobremaneira, o argumento daqueles que afirmam que juízes e membros do Ministério Público querem formar uma casta de inimputáveis enquanto defendem, talvez, inconscientemente, a pior das castas: a dos políticos de todos os partidos que se acham no direito de nos roubar e não responder jamais por seus crimes.

Hoje vejo todos os ditos "politizados" unidos a favor da corrupção, a pretexto de serem contra a criminalização da política. Mas, afinal, quem trouxe o crime para dentro da política? Foi o Ministério Público e o Judiciário ou foram os políticos que se achando acima da lei, da Justiça, do Bem e do Mal, transformaram os Partidos em organizações criminosas para se apropriarem do patrimônio do povo brasileiro, para custearem seus projetos pessoais de poder e suas vidas de nababos?

Quem criminalizou a política foram os políticos, pois que paguem por isso por não serem dignos de estarem na vida pública, por transformarem a política em algo que causa asco nas pessoas de bem e por inverterem os valores na mente de boa parte do povo brasileiro, que hoje acredita que o crime compensa e que criminoso é quem cumpre com seu dever de não compactuar com a malfeitoria que se resolveu institucionalizar no País.

Comentários

  1. Que não se esconda por trás de um suposto combate a corrupção o autoritarismo dos que acham acima da lei. Isso é fascismo. MPF STF judiciário não são confiáveis.

    ResponderExcluir
  2. Concordo contigo, Noélia! Agora aguardo do seu blog uma matéria sobre os privilégios do judiciário e a corrupção que permeia também este poder

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MAIS ACESSADAS DO MÊS

PAULO CÂMARA INSISTE EM EXPULSAR POLICIAIS MILITARES QUE DEFENDEM CATEGORIA, MAS PROTEGE CORONEIS DENUNCIADOS POR CORRUPÇÃO EM SEU GOVERNO INVESTIGADOS POR DESVIOS PARA CAMPANHAS DO PSB

"Jarbas Vasconcelos é um lambe-botas que escapou da Lava Jato pela prescrição", Artigo de FBC para a Folha de São Paulo desmonta falso moralismo de Jarbas e dá o tom do que será 2018

TULIO GADELHA DIVULGA CARTA REVELANDO REAIS MOTIVOS DE SUA EXONERAÇÃO DO ITERPE: "AJUSTE PARTIDÁRIO E ELEITOREIRO"