Notícias




terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

TEMER NOMEIA XERIFE QUE "LAVOU" A HONRA DA REPUBLIQUETA DOS VARÕES PARA O SUPREMO


Michel Temer tinha uma lista com mais de 30 nomes, à sua disposição, para escolher quem substituiria o ministro Teori Zavascki no cargo vitalício de ministro da mais alta Corte de Justiça do País.

A lista era composta de renomados juristas, ministro de outros Tribunais Superiores, procuradores, juízes, enfim, de uma plêiade, por assim dizer, respeitável de nomes, alguns com a desejável isenção político-partidária necessária ao fiel exercício da elevada missão, já outros, nem tanto.

Nem vou declinar nomes, para não denotar predileções, mas o fato é que dentre tantas opções, Michel Temer escolheu justamente a menos provável: Alexandre de Moraes, um xerife trapalhão, cujo grande feito da carreira fora prender o hacker que invadiu o celular de Dona Marcela Temer, quando, na qualidade de Secretário de Segurança de São Paulo, comandou pessoalmente a megaoperação para identificar o malfeitor, um audaz ciberbandido que ousara invadir a conta do WattsApp da então vice-primeira dama para extorqui-la, ameaçando vazar áudios e fotografias  íntimas que ali encontrara, acaso não pagasse R$ 300 mil pela não divulgação.

Silvonei José Jesus de Sousa, o hacker, inclusive, já foi condenado a uma pena exemplar de 5 anos, 10 meses e 25 dias, a ser cumprida em regime fechado, pelos crimes de extorsão e estelionato. Marcela Temer, que abriu uma mensagem contento um vírus que capturou os dados de seu celular, chegou a fazer um pagamento de R$ 15 mil para que Silvonei não divulgasse o conteúdo "hackeado" de seu celular, entretanto, insatisfeito, o ciberbandido exigiu mais R$ 300 mil, em dinheiro, para não divulgar as fotos íntimas e as mensagens de áudio. A partir daí, Alexandre de Moraes foi acionado e colocou uma equipe de sua inteira confiança da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa para prender o Hacker. Em poucos dias, montou-se a operação que resultou na prisão do hacker e na preservação do conteúdo hackeado que ele pensou valer R$ 300 mil e pelo qual terá que passar os próximos cinco anos no xilindró.

Para mais detalhes sobre a extorsão e a prisão do hacker pelo intrépido xerife Alexandre de Moraes, leiam o Estadão e  o G1(AQUI e AQUI).

Depois disso, nada mais seria motivo suficiente para que Temer deixasse de nutrir por Alexandre de Moraes o mais elevado apreço e a mais estreita confiança.

Não interessa que seu escritório tenha advogado em mais de 130 processos para uma cooperativa acusada de lavar dinheiro para o PCC e que tenha advogado para Eduardo Cunha, além de ser filiado ao PSDB. Pouco importa que Alexandre de Moraes tenha minimizado a prática de tortura durante a Ditadura Civil-Militar, em suas aulas de Direito Constitucional, como professor universitário que é. De nada vale o fato de ter sido um truculento Secretário de Segurança Pública de São Paulo, na repressão a protestos de estudantes e trabalhadores, nem, muito menos, a acumulação de um patrimônio de quase R$ 5 milhões em imóveis somente no período em que foi promotor de Justiça e Conselheiro do CNMP. Não! Nada disso é relevante para Michel Temer que mandou a revista "Veja" fazer uma matéria sobre sua jovem esposa, Marcela, classificando-a como "Bela, recatada e do lar", como se ainda vivêssemos no século XIX e essas fossem as qualidades desejáveis em uma esposa e, principalmente, na já anacrônica figura da "primeira dama", em um país que já elegeu uma mulher presidente por duas vezes, que tem ministras no Supremo Tribunal Federal e onde se luta, dia a dia, para vencer o machismo que mata 5 mil mulheres, todos os anos pelo simples fato de serem mulheres (Leia AQUI).

O que levou Alexandre de Moraes ao Supremo Tribunal Federal não foram suas ligações com o PSDB, nem muito menos com o PMDB, com o qual sequer tem ligações tão íntimas. Não, não foi nada parecido com isso. Com essas "credenciais", Temer teria opções bem mais palatáveis e até bem mais ardilosas, em sua lista de "notáveis".

O que levou Alexandre de Moraes ao Supremo foi o mesmo motivo que o levou ao Ministério da Justiça: Alexandre de Moraes é a mais completa tradução da republiqueta dos Varões que o governo Temer apenas descortinou. Finalmente o Brasil está mostrando a sua cara!



3 comentários:

  1. Não culpo o Temer pela indicação do Moraes para o STF. A culpa de tudo que ocorre no Brasil é de Pedro Álvares Cabral, que teve o azar de descobrir terras em que tudo se plantando dá, inclusive salafrários de "primeira qualidade".

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.

Siga o Blog por Email

Twitter Updates 2.2: FeedWitter

Seguidores

Vídeos

BoxVideos1

BoxVideos2

Noelia Brito © 2016 Todos os direitos reservados.