ADVOGADO DA OAS VAI DELATAR E DEVE ENVOLVER ADVOGADO PERNAMBUCANO FILHO DE EX-MINISTRO DO STJ EM DELAÇÃO, REVELA FOLHA DE SÃO PAULO



Matéria publicada pela Folha de São Paulo, no último dia 05 de julho revela que o advogado da construtora OAS, Bruno Menezes Brasil, diretor jurídico da OAS, está entre os executivos da empreiteira baiana que celebra acordo de delação premiada com a Procuradoria Geral da República, para entregar membros do Poder Judiciário que teriam recebido propina para favorecer a empreiteira em ações de seu interesse. 

O acordo assinado por Bruno Brasil será semelhante ao celebrado pelo diretor jurídico da J&F, Francisco de Assis e Silva, que também integrou a lista de delatores da empresa, chegando a delatar o procurador da República Angelo Goulart, preso na operação "Patmos" por vazar informações sigilosas para a J&F em troca do pagamento de propina. O procurador Angelo teria sido beneficiado com uma "mesada" de R$ 50 mil para vazar as informações sigilosas para a organização criminosa que acabou por delatá-lo.


Ministros do STJ Benedito Gonçalves
e Humberto Martins estariam entre
os delatados pelo advogado da OAS
Segundo a matéria da Folha (leia AQUI), assinada pelos repórteres Bela Megale e Walter Nunes, um dos episódios que o diretor jurídico teve que esclarecer em sua delação foi a troca de mensagens entre ele e o então presidente da OAS, Léo Pinheiro, sobre a contratação do advogado pernambucano Marcos Meira, filho do ex-ministro do STJ Castro Meira, que deixou a corte em 2013, onde o pernambucano seria indicado como contato para influenciar decisões favoráveis à empreiteira junto a ministros do Tribunal. Marcos Meira nega a influência. Além da contratação do advogado pernambucano, que é sócio do ministro das Cidades  Bruno Aráujo num escritório de advocacia, Bruno Brasil também teria delatado os ministros do STJ Humberto Martins e Benedito Gonçalves, revela, ainda a reportagem da Folha.

Saiba mais em: 



Comentários

Postar um comentário

MAIS ACESSADAS DO MÊS

Empresa flagrada servindo comida podre para alunos das escolas públicas de Pernambuco promove assédio judicial contra Editora do blog da Noelia Brito na tentativa de intimidá-la e cessar denúncias do Blog contra malfeitos da empresa, também apontados pela Polícia Civil, pelo MPPE e pelo TCE/PE

Aos gritos de "tem roubo", alunos protestam contra a falta de Merenda durante visita de Paulo Câmara. Na Prefeitura do Recife, Geraldo Júlio é notificado pelo MPPE para explicar denúncias do SIMPERE sobre irregularidades em contratos da Merenda

Até ameaças de morte teriam sido feitas por Eduardo da Fonte e Ciro Nogueira contra testemunhas para que mudassem depoimentos na Lava Jato contra parlamentares do Partido. Apartamento de Dudu da Fonte em Boa Viagem também foi alvo de buscas e apreensões