Notícias




terça-feira, 1 de agosto de 2017

MARQUETEIROS PERNAMBUCANOS TERIAM USADO SUPERMERCADO DO RECIFE PARA "LAVAGEM DE ATIVOS E GERAÇÃO DE RECURSOS EM ESPÉCIE", APONTA MPF EM PEDIDO DE PREVENTIVA ACATADO POR SERGIO MORO



O juiz Sergio Moro decretou, ontem, a pedido da Força-Tarefa "Operação Lava Jato", a prisão preventiva dos dois marqueteiros pernambucanos, André Gustavo Vieira da Silva e Antônio Carlos Vieira da Silva Júnior, proprietários da Agência Arcos e de outras empresas apontadas pela Polícia Federal como "de fachada" por se prestarem à realização de contratos fictícios destinados ao repasse de propinas a políticos, em especial, no Estado de Pernambuco.

No despacho, o juiz Sergio Moro compara André Gustavo e Antônio Carlos aos doleiros Alberto Youssef, Fernando Baiano e Milton Pascowitch, definindo-os como "profissionais da lavagem de dinheiro, que utilizariam empresas de fachada ou parcialmente de fachada para repasse sistemático de vantagem indevida a agentes públicos, não só um, mas para vários, e que fazem do ilícito e da fraude a sua profissão.":








Além de utilizarem a empresa Arcos para o cometimento dos crimes delatados pelos executivos da Odebrecht e da JBS, de lavagem de recursos ilícitos para pagamento de propina para políticos, documentos apreendidos pela Polícia Federal, com autorização da Justiça, ainda constataram que André Gustavo e Antônio Carlos Vieira se utilizavam de um supermercado para o mesmo propósito. No pedido de prisão preventiva dos marqueteiros pernambucanos, o Ministério Público Federal apontou que André Gustavo utilizava o Supermercado Albatroz "para lavagem de ativos e geração de recursos em espécie", tendo detectado pelo menos três operações em que esse supermercado "solicitou transporte de valores em espécie tendo como destinatário ANDRÉ GUSTAVO, nos valores de R$ 889.604,00 (oitocentos e oitenta e nove mil e seiscentos e quatro reais), R$ 829.500,00 (oitocentos e vinte e nove mil e quinhentos reais) e R$ 797.853,00 (setecentos e noventa e sete mil e oitocentos e cinquenta e três reais)":



Supermercado Albatroz Ltda. é a razão social do Supermercado Extrabom, com sede no Recife, que tem como sócio administrador o empresário José Wellington da Costa Borba, que aparece como sócio de outras dez empresas: 



O Ministério Público Federal ainda aponta as pessoas físicas que foram identificadas em transações bancárias como as maiores beneficiárias de recursos em espécie que teriam sido movimentados por André Gustavo e que teriam possibilitado que o marqueteiro pudesse disponibilizar de farta quantia em espécie. As informações foram obtidas mediante a quebra de sigilo bancário do empresário. Os principais beneficiários de recursos em espécie identificados pelas transações bancárias, segundo a quebra de sigilo bancário de André Gustavo foram RAEL NETO DE SANTANA (CPF 476.428.824-91) com R$ 1.516.284,31 (Apêndice 4), WALDEMAR GONÇALVES AGRA NETO (CPF 355.024.284-00) com R$ 478.352,49 (Apêndice 5), [...], LEO- NARDO CASTRO DA SILVA (CPF 022.397.074-37) com R$ 96.658,19, [...], HEBILMAR ANTONIO DA SILVA (CPF 381.730.853-15) com R$ 82.000,00 e ALEXANDRE FÁBIO DA SILVA CHAGAS (CPF 907.771.904-00) com R$ 74.826,53:




Com a decretação da prisão preventiva dos marqueteiros pernambucanos, pelo juiz Sergio Moro, espera-se que acabem seguindo o mesmo caminho de outros colegas de profissão que optaram pela delação premiada para sairem da cadeia e amenizarem as pesadas penas que os aguardam.


SAIBA MAIS:








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.

Siga o Blog por Email

Twitter Updates 2.2: FeedWitter

Seguidores

Vídeos

BoxVideos1

BoxVideos2

Noelia Brito © 2016 Todos os direitos reservados.