ENROLADO NO TCE E NA POLÍCIA FEDERAL POR CAUSA DA LICITAÇÃO DA MERENDA, GERALDO JULIO NÃO PAGA FÉRIAS DE PARTE DOS PROFESSORES MUNICIPAIS DO RECIFE, DENUNCIA SIMPERE


Envolto em denúncias e investigações em razão da incompreensível insistência em contratar a empresa Casa de Farinha, alvo de denúncias, operações policiais e processos por acusações de fraudes em licitações, subornos, conluios e e até ameaças contra concorrentes,  o prefeito do Recife, Geraldo Júlio é acusado pelo SIMPERE, Sindicato que agrega os profissionais da Educação da Rede Municipal de Ensino, de não pagar as férias de parte dos professores do Município. Leiam nota divulgada pelo SIMPERE enviada hoje ao Blog da Noelia  Brito:

"O Sindicato de professores e professoras do município do Recife recebeu a denúncia de parte da categoria que ficou sem receber o pagamento das férias coletivas de janeiro na data divulgada pela PCR. Segundo o setor financeiro, foram professores e professoras readaptadas em função de assistente de direção. Afirmam ainda a impossibilidade de folha extra. O Simpere repudia a postura da prefeitura e exige que reconheçam o erro em não pagar a categoria no prazo previsto e lance a folha extra. Os professores readaptados não podem ser duplamente punidos. Além de adoecerem pelo próprio trabalho e as péssimas condições a que são submetidos, ainda sofrem este tipo de descaso. Vimos no início do semestre a prefeitura de Geraldo Julio tentar retirar dos readaptados o direito ao recesso de julho, mas junto ao simpere, tendo em vista legislação específica que acoberta esse setor, conseguimos reverter o caso. Não vamos aceitar qualquer ônus a categoria por desorganização na folha de pagamento. *Direção colegiada do Simpere* *Gestão Resistência e Luta - CSP Conlutas* "

MAIS VISITADAS DO MÊS

Polêmica: compradores dos apartamentos "entregues" por Bolsonaro em Petrolina soltam nota repudiando "inverdades" da propaganda oficial "fazendo todos acreditarem que foi de “graça” o que além de ser uma inverdade se torna totalmente desrespeitoso para quem adquiriu o apartamento com tanto esforço."

Além de assédio sexual contra funcionárias, testemunhas reportaram ao MPPE e à DRACO que Prefeito de Camaragibe levava "prostitutas" para dentro da Prefeitura

Operação "For All": Além da sonegação de R$ 500 milhões, donos da A3 Entretenimentos, que administra várias bandas de forró, casas de show e até gráficas, também são investigados por tráfico internacional de drogas, homicídio, ameaça, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Principal banda da empresa é a Aviões do Forró

Recusa em dar R$ 400 mil por mês a Olavo de Carvalho causou a demissão de Santos Cruz. Pressão pelo dinheiro era de Carlos Bolsonaro

Lava Jato chega a Pernambuco: "Amplo esquema criminoso leva Lava Jato a bloquear mais de R$ 3,5 bilhões do PSB, de FBC, do Espólio de Eduardo Campos, Do MDB e de Eduardo da Fonte além de vários empresários