Operação Grande Família da Polícia Federal mira orcrim familiar que fraudou 640 benefícios previdenciários no Piauí e no Maranhão


Teresina/PI – A Polícia Federal deflagrou nesta quarta- feira (15/05) a Operação GRANDE FAMÍLIA, visando desarticular quadrilha especializada no recebimento de benefícios previdenciários de segurados falecidos.

Cerca de 125 policiais federais dos Estados do Piauí, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco deram cumprimento a 31 mandados de busca e apreensão e 21 mandados de prisão preventiva, expedidos pela 3ª Vara da Seção Judiciária Federal em Teresina. Os mandados estão sendo cumpridos nos estados do Piauí e Maranhão.

As investigações tiveram início em 2018, a partir de Relatórios produzidos pela Coordenação Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT) da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia – órgão integrante da Força tarefa Previdenciária – que apontaram irregularidades em transferências de benefícios previdenciários do Maranhão para o Piauí.



A quadrilha, formada por estelionatários e servidores públicos, falsificava documentos em nome dos beneficiários falecidos, abria contas bancárias e, posteriormente, servidores do INSS integrantes da quadrilha transferiam os benefícios do Estado do Maranhão para Teresina.

Cerca de 640 benefícios previdenciários fraudados foram identificados no curso da investigação. A Justiça Federal determinou a imediata suspensão destes benefícios, medida que evitará um prejuízo futuro estimado em R$ 80 milhões. Também determinou a apreensão de veículos, o bloqueio das contas bancárias dos presos e a suspensão do exercício da função pública para os servidores do INSS.

Os investigados deverão responder pelos crimes de associação criminosa (artigo 288 do CPB), estelionato qualificado (artigo 171, § 3º, do CPB), falsidade ideológica (artigo 299 do CPB), uso de documento falso (artigo 304 do CPB), corrupção passiva (artigo 317, §1º, do CPB) e corrupção ativa (artigo 333, p. u., do CPB).

O nome da Operação decorre do fato de 07 presos pertencerem a uma única família.

*Com informações da Assessoria de Comunicação Social da Polícia Federal em Teresina/PI

Comentários

MAIS VISITADAS DO MÊS

Preso por sonegaçãoe lavagem de dinheiro, DJ das celebridades protestava contra a corrupção e contra Dilma na Av. Boa Viagem

OPERAÇÃO MAR ABERTO: SOCIALITE PERNAMBUCANO PRESO NA OPERAÇÃO GASTOU QUASE R$ 3 MILHÕES COM CARTÕES DE CRÉDITO, REVELA DECISÃO QUE MANDOU PRENDÊ-LO. ESPOSA E DEMAIS PARENTES OSTENTAVAM GASTOS INCOMPATÍVEIS COM OS GANHOS DECLARADOS

Paulo Câmara tenta transferir ação de improbidade por ocultação de dados sobre repasses de recursos do SUS para Organizações Sociais à Justiça Estadual. MPF reage e aponta que Estado recebeu mais de R$ 9 bilhões da União para Saúde dos pernambucanos

MAR ABERTO: OPERAÇÃO DA DRACO E DA SEFAZ/PE PRENDE DJ DAS CELEBRIDADES RECIFENSES E O PAI, COMERCIANTE DE LANCHAS PARA RICAÇOS, POR SONEGAÇÃO, LAVAGEM DE DINHEIRO . MANDADOS FORAM AUTORIZADOS PELA JUÍZA ANA MOTA, DA VARA DOS CRIMES TRIBUTÁRIOS

Justiça manda suspender processo de cassação do Prefeito de Camaragibe