Radar: Sérgio Cabral usou hacker para espionar políticos e invadir computadores da Justiça Federal, diz delator


Segundo a Coluna Radar da Veja, a delação premiada de Rogério Onofre, ex-presidente do Detro, afirma que Sérgio Cabral teria utilizado hackers para espionar políticos e para invadir os computadores da 7. Vara Federal onde tramitam os processos da Lava Jato no Rio de Janeiro.

A espionagem contra adversários teria acontecido nas eleições de 2006, quando Cabral teria contratado um hacker chamado Maikel.

Os alvos principais eram Denise Frossard, contra quem disputava as eleições ao governo do Rio, e César Maia.

Rogério Onofre, cuja delação foi rejeitada pelo MPF, diz ainda que o hacker foi utilizado para criar notícias falsas contra concorrentes de Cabral.

Veja abaixo trecho do depoimento:




– (Reprodução/Reprodução)

MAIS VISITADAS DO MÊS

Polêmica: compradores dos apartamentos "entregues" por Bolsonaro em Petrolina soltam nota repudiando "inverdades" da propaganda oficial "fazendo todos acreditarem que foi de “graça” o que além de ser uma inverdade se torna totalmente desrespeitoso para quem adquiriu o apartamento com tanto esforço."

Além de assédio sexual contra funcionárias, testemunhas reportaram ao MPPE e à DRACO que Prefeito de Camaragibe levava "prostitutas" para dentro da Prefeitura

Operação "For All": Além da sonegação de R$ 500 milhões, donos da A3 Entretenimentos, que administra várias bandas de forró, casas de show e até gráficas, também são investigados por tráfico internacional de drogas, homicídio, ameaça, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Principal banda da empresa é a Aviões do Forró

Recusa em dar R$ 400 mil por mês a Olavo de Carvalho causou a demissão de Santos Cruz. Pressão pelo dinheiro era de Carlos Bolsonaro

Lava Jato chega a Pernambuco: "Amplo esquema criminoso leva Lava Jato a bloquear mais de R$ 3,5 bilhões do PSB, de FBC, do Espólio de Eduardo Campos, Do MDB e de Eduardo da Fonte além de vários empresários