Vice-prefeito de Abreu e Lima rebate ação do MPPE e aponta equívoco na sua inclusão na ação


Nota

A verdade dos fatos Embora ainda não tenha sido oficialmente comunicado da ação civil pública do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), venho a público prestar os seguintes esclarecimentos a respeito do assunto: A nota do MPPE faz alusão às contas rejeitadas do prefeito Pastor Marcos, referentes ao exercício financeiro de 2015, que correspondem ao primeiro mandato do gestor municipal. A bem da verdade, é bom que se diga que à época eu não exercia o cargo de vice-prefeito do município, que era ocupado pelo Sr. Josias Pereira de Azevedo. A chapa Pastor Marcos (prefeito) e Dr. Marcos (vice-prefeito) foi eleita nas eleições de 2016, e tomou posse em janeiro de 2017. Trata-se, portanto, de um grave equívoco cometido pelo MPPE, em razão dos fatos narrados não terem aderência com a realidade. Vale registrar ainda que ao longo de mais de dois anos de mandato, em momento algum assumi o comando do executivo municipal. 

Atenciosamente 

Marcos Antonio Peixoto de Siqueira. 
Vice-prefeito da cidade de Abreu e Lima

MAIS VISITADAS DO MÊS

Polêmica: compradores dos apartamentos "entregues" por Bolsonaro em Petrolina soltam nota repudiando "inverdades" da propaganda oficial "fazendo todos acreditarem que foi de “graça” o que além de ser uma inverdade se torna totalmente desrespeitoso para quem adquiriu o apartamento com tanto esforço."

Além de assédio sexual contra funcionárias, testemunhas reportaram ao MPPE e à DRACO que Prefeito de Camaragibe levava "prostitutas" para dentro da Prefeitura

Operação "For All": Além da sonegação de R$ 500 milhões, donos da A3 Entretenimentos, que administra várias bandas de forró, casas de show e até gráficas, também são investigados por tráfico internacional de drogas, homicídio, ameaça, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Principal banda da empresa é a Aviões do Forró

Recusa em dar R$ 400 mil por mês a Olavo de Carvalho causou a demissão de Santos Cruz. Pressão pelo dinheiro era de Carlos Bolsonaro

Lava Jato chega a Pernambuco: "Amplo esquema criminoso leva Lava Jato a bloquear mais de R$ 3,5 bilhões do PSB, de FBC, do Espólio de Eduardo Campos, Do MDB e de Eduardo da Fonte além de vários empresários