Ricardo Padilha é condenado a 6 anos e 4 meses de reclusão por formação de quadrilha e venda de produtos impróprios para consumo. Empresário foi o principal alvo das Operações Torrentes. e Mata Norte


O Juiz José Gilberto de Sousa, da 1ª. Vara da Comarca de Timbaúba/PE, nos autos da ação penal nº 0000950-08.2008.8.17.1480, condenou RICARDO José PADILHA Carício a dois (02) anos e quatro (04) meses de reclusão, pela prática da conduta típica então prevista no artigo 288 do Código Penal (formação de quadrilha), e a mais quatro (04) anos e dois (02) meses de detenção, pela prática da infração prevista no artigo 7º, inciso IX, da Lei nº 8.137 de 27/12/1990 (vender, ter em depósito para vender ou expor à venda ou, de qualquer forma, entregar matéria-prima ou mercadoria, em condições impróprias ao consumo). A pena deverá ser cumprida inicialmente em regime semi-aberto.

O Ministério Público de Pernambuco, por intermédio do Promotor de Justiça João Elias da Silva Filho, da 1ª Promotoria de Justiça de Timbaúba, denunciou Ricardo Padilha em 2008 como decorrência da Operação Ouro Branco, da Polícia Civil de Pernambuco. 

Ricardo Padilha é apontado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal como líder de uma organização criminosa que juntamente com Coronéis da Casa Militar do Governo do Estado de Pernambuco se utilizava até de um lobista que cumpriu pena por assaltos a bancos para fraudar licitações e superfaturar contratos naquela Secretaria e em outras do governo do Estado e com braços em outros Estados da Federação (Leia em ASSALTANTE DE BANCOS ERA O LOBISTA QUE INTERMEDIAVA CONTRATOS ENTRE EMPRESÁRIOS E GOVERNOS DE PERNAMBUCO E MARANHÃO, REVELA OPERAÇÃO TORRENTES II DA POLÍCIA FEDERAL)

Comentários

MAIS VISITADAS DO MÊS

Preso por sonegaçãoe lavagem de dinheiro, DJ das celebridades protestava contra a corrupção e contra Dilma na Av. Boa Viagem

OPERAÇÃO MAR ABERTO: SOCIALITE PERNAMBUCANO PRESO NA OPERAÇÃO GASTOU QUASE R$ 3 MILHÕES COM CARTÕES DE CRÉDITO, REVELA DECISÃO QUE MANDOU PRENDÊ-LO. ESPOSA E DEMAIS PARENTES OSTENTAVAM GASTOS INCOMPATÍVEIS COM OS GANHOS DECLARADOS

Paulo Câmara tenta transferir ação de improbidade por ocultação de dados sobre repasses de recursos do SUS para Organizações Sociais à Justiça Estadual. MPF reage e aponta que Estado recebeu mais de R$ 9 bilhões da União para Saúde dos pernambucanos

MAR ABERTO: OPERAÇÃO DA DRACO E DA SEFAZ/PE PRENDE DJ DAS CELEBRIDADES RECIFENSES E O PAI, COMERCIANTE DE LANCHAS PARA RICAÇOS, POR SONEGAÇÃO, LAVAGEM DE DINHEIRO . MANDADOS FORAM AUTORIZADOS PELA JUÍZA ANA MOTA, DA VARA DOS CRIMES TRIBUTÁRIOS

Justiça manda suspender processo de cassação do Prefeito de Camaragibe