COM CURRÍCULO VASTO, NOVO SUPERINTENDENTE DA POLÍCIA FEDERAL EM PERNAMBUCO TOMA POSSE HOJE


O novo Superintendente da Polícia Federal em Pernambuco, Delegado *CARLOS HENRIQUE OLIVEIRA DE SOUSA, toma posse, hoje, sexta-feira, 24 de maio, às 10h, em cerimônia que será realizada no Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

Ele assume o posto em substituição ao atual superintendente, Cairo Costa Duarte, que já está chefiando a Superintendência da Polícia Federal em Minas Gerais.

CARLOS HENRIQUE OLIVEIRA DE SOUSA é Delegado da Polícia Federal formado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – Rio de Janeiro/RJ – 1993, tendo em seu currículo o XIV Curso de Formação Profissional de Delegado de Polícia Federal – Academia Nacional de Polícia do Departamento de Polícia Federal – Brasília/DF – 1998, Pós-graduação Lato Sensu com Especialização em Gestão de Segurança Pública, Academia Nacional de Polícia – ANP, Brasília, Distrito Federal – 2008, Curso “FBI NATIONAL ACADEMY”, SESSION 239, promovido pelo Federal Bureau of Investigation - FBI, em convênio com a Universidade da Virgínia, na Cidade de Quantico, Virginia, Estados Unidos da América – 2009, sendo ainda Graduado em “Criminal Justice Education” pela Universidade da Virgínia, Estados Unidos da América, 2009.

O novo Superintendente da PF/PE tem Mestrado em Operações Especiais - Master of Science (M.Sc) Special Operations/Irregular Warfare – Department of Defense Analysis, Naval Postgraduate School (NPS), Escola Naval de Pós Graduação, Monterey, California, Estados Unidos da America, 2013/2014

Carlos Henrique Sousa foi Delegado Regional Executivo – DREX, Superintendência Regional da Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro – Desde 2017/2019. Representante Regional da INTERPOL, Superintendência Regional da Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro – 2017/2019. Corregedor Regional da Superintendência Regional da Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro – 2015/2017. Chefe do Setor de Inteligência Policial – SIP, Superintendência Regional da Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro – 2011/2013; Chefe da Delegacia de Repressão a Crimes Financeiros – DELEFIN, Superintendência Regional da Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro – 2009/2011. Chefe Substituto da Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado – DRCOR, da Superintendência Regional da Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro – 2010/2011. Chefe Substituto da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes – DRE, da Superintendência Regional da Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro – 2007/2009. Chefe Substituto da Delegacia de Repressão a Crimes Previdenciários – DELEPREV, da Superintendência Regional da Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro – 2001/2003. Coordenador da “Força Tarefa Previdenciária”, no âmbito da Polícia Federal, formada pela reunião da Agência de Pesquisa Estratégica do Ministério da Previdência Social, Ministério Público Federal e Polícia Federal – 2000/2001. Delegado de Polícia Federal – Polícia Federal – desde 1999. *IDIOMAS:* Fluente em Inglês (oral e escrito).

MAIS VISITADAS DO MÊS

Polêmica: compradores dos apartamentos "entregues" por Bolsonaro em Petrolina soltam nota repudiando "inverdades" da propaganda oficial "fazendo todos acreditarem que foi de “graça” o que além de ser uma inverdade se torna totalmente desrespeitoso para quem adquiriu o apartamento com tanto esforço."

Além de assédio sexual contra funcionárias, testemunhas reportaram ao MPPE e à DRACO que Prefeito de Camaragibe levava "prostitutas" para dentro da Prefeitura

Operação "For All": Além da sonegação de R$ 500 milhões, donos da A3 Entretenimentos, que administra várias bandas de forró, casas de show e até gráficas, também são investigados por tráfico internacional de drogas, homicídio, ameaça, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Principal banda da empresa é a Aviões do Forró

Recusa em dar R$ 400 mil por mês a Olavo de Carvalho causou a demissão de Santos Cruz. Pressão pelo dinheiro era de Carlos Bolsonaro

Lava Jato chega a Pernambuco: "Amplo esquema criminoso leva Lava Jato a bloquear mais de R$ 3,5 bilhões do PSB, de FBC, do Espólio de Eduardo Campos, Do MDB e de Eduardo da Fonte além de vários empresários